VIAGEM PARA O MEIO-OESTE E OESTE AMERICANO

 

PLANEJAMENTO DA VIAGEM

Começamos a formatar a viagem em abril, três meses antes de ela acontecer. A princípio éramos um núcleo exclusivamente familiar. Eu, Mônica (minha esposa), Kim (meu filho), Nanda (minha enteada) e André Agra (meu genro).

O grupo em São Francisco

O grupo em São Francisco

A idéia e o desejo da maioria era fazermos uma viagem para a Califórnia, contemplando Los Angeles, São Francisco e a CA 1 (rodovia que costeia a Califórnia e é famosa pela paisagem estonteante). Já tinha feito esta viagem antes e, apesar de ter amado, quando fiz, pensei em incluir algumas áreas inéditas para que pudéssemos ter um tempero especial.

O Grand Canyon - Um dos principais destinos da viagem.

O Grand Canyon - Um dos principais destinos da viagem.

Las Vegas já estava na previsão inicial, o desafio era fazer um roteiro que agradasse a todos e permitisse um equilíbrio à viagem. Incluímos no roteiro algumas áreas inéditas, com uma boa dose de paisagens naturais: O Grand Canyon, um trecho da Rout 66, o Yosemite Park e Lake Tahoe.

Lake Tahoe

Lake Tahoe

Um mês antes da viagem, fizemos um jantar familiar para discutirmos detalhes do roteiro e tomarmos (tardiamente) as providências sobre reservas de passagens e hospedagens. Convidamos um casal de amigos (Dr. Alberto Vasconcelos e Dra. Kika Teixeira), velhos companheiros de outras viagens. Beto e Kika estavam com viagem programada para o Peru no mesmo período em que estávamos planejando esta.

O grupo completo

O grupo completo

Depois que apresentamos o roteiro era inevitável o convite para uma mudança de roteiro. Não forçamos a barra, porém no dia seguinte Kika ligou para Mônica e confessou que o roteiro era irresistível e que eles iriam conosco. Foi uma correria, mas no dia 19 de junho estávamos todos lá.

A parte aérea foi confusa e o grupo viajou separado. No dia 18 de junho seguiram: Kim, Beto e Kika. Fui com Mônica, Nanda e André no dia 19 e nos encontramos em Phoenix no dia 20.

Mirante nos arredores de Phoenix

Mirante nos arredores de Phoenix

JEROME E SEDONA

Depois de uma longa viagem com escalas em São Paulo, Miami e Dallas, chegamos a Phoenix às 13h. Pegamos dois carros no aeroporto e seguimos para a nossa aventura. O destino do primeiro dia era Grand Canyon Village e deveríamos fazer uma viagem obvia para podermos descansar um pouco à noite. Calculávamos aproximadamente 3 horas de viagem e o caminho era a US 17N até Flagstaff, depois pegaríamos a US 40W até Williams e finalmente o acesso para Grand Canyon Village.

Chegando ao Grand Canyon Village

Chegando ao Grand Canyon Village

O roteiro começou a mudar na hora da retirada do carro, pois o rapaz que nos atendeu, quando questionado sobre qual o melhor caminho, sugeriu que pegássemos a estrada para Sedona, justificando que era um caminho secundário, muito bonito e, segundo ele, mais visitado do que o Grand Canyon. Não pensamos duas vezes e definimos o nosso novo roteiro. Deveríamos ir a Sedona, porém olhando no mapa tivemos a idéia de seguirmos por um caminho mais alternativo ainda, saindo da “free way”. Seguimos a US 17N até o desvio para Spring Valley e deixamos nos levar por uma estrada lindíssima.

A paisagem no caminho

A paisagem no caminho

O caminho pela Arizona 69N é sinuoso e de paisagens incríveis. O céu incrivelmente azul contrasta sempre com o multicolorido das rochas erodidas e uma floresta de cactos enfeita a paisagem. Poucos carros e com freqüência caravanas de “haleiros”, com as sua motos “retrôs” que combinavam com a estrada e o espírito daquele trecho.

Haleiros a todo momento na estrada.

Haleiros a todo momento na estrada.

Estrada sinuosa, velocidade baixa, a floresta de cactos dá lugar a uma vegetação mais densa e a paisagem aumenta o risco, pois desvia a atenção do motorista. De repente uma curva em “cotovelo” e estamos dentro de uma cidade incrível. Não estava nos nossos planos, nem no roteiro. Jerome parece uma cidade fantasma. Tem apenas uma rua, fica pendurada nas montanhas, com uma bela vista para um vale que se perde no horizonte. Tem uma série de bares e lojinhas típicas e dezenas de motos Harley Davidson nas portas dos bares. Parecia uma cidade de mentira. Quando abríamos as portas dos bares porém, eles estavam lá e eram de verdade. Motoqueiros saídos dos anos 70 (Easy Rider), numa paisagem que era a cara daquele lugar. A sensação é que iríamos nos encontrar com Peter Fonda e Dennis Hopper ali, a qualquer momento.

Jerome, mais parece cenário que real

Jerome, mais parece cenário que real

Concentração de motos em Jerome

Concentração de motos em Jerome

Continuamos a viagem pela Arizona 69 descendo a serra que havíamos subido antes, até chegarmos a Sedona, que fica numa área geológica privilegiada. Sedona é uma cidade com alguma infra-estrutura turística. Vários hotéis e muitas opções para turismo de lazer, como trekking, off-road, etc. Passamos direto por Sedona, pois sabíamos que ainda tínhamos um longo caminho pela frente e estávamos bastante cansados. Somente uma paradinha para fotos e seguimos viagem.

O paraíso geológico de Sedona

O paraíso geológico de Sedona

 

Escureceu antes de chegarmos a Flagstaff e aí não tínhamos ânimo para mais nada. A ordem era ficar acordado, olho na estrada e em busca do destino. Chegamos ao Grand Canyon Village ás 21h. A viagem que era para ser feita em 3 horas, fizemos em 6h, mas valeu muito à pena.

Ficamos hospedados no Best Western Hotel, fora do parque do Grand Canyon e finalmente, depois de 30h entre aviões, aeroportos, estradas e lugares espetaculares, paramos para descansar um pouco.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Estados Unidos da América e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para VIAGEM PARA O MEIO-OESTE E OESTE AMERICANO

  1. Márcia Regina Borges disse:

    Adoro ler seus textos, sempre ficou com vontade de ver o final!

  2. Pingback: Os números de 2010 | Joaquim Nery

  3. Mariana Nascimento disse:

    Quinho,

    O blog está ótimo! Adorei os textos. Lendo o que você postou dá vontade de um dia fazer o mesmo roteiro e ver bem de perto toda beleza do Grand Canyon. As fotos ficaram ótimas! Coloca mais quando puder.

  4. João disse:

    Muito bom Quinho! sempre bom poder viajar em boas cia e pra lugares bacanas! um grande abraço

  5. Catiane Oliveira disse:

    Fiquei curiosa para saber como foi a viagem toda.

    Muito bom o texto!!!

  6. Juliana Vianna disse:

    A-D-O-R-E-I!!!
    Já estou ansiosa, na espera do 2º post!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s