TRAVESSIA DO ATLÂNTICO

Em março de 2009 saímos para uma viagem inesperada. Tudo resolvido às pressas. Fomos na agência de viagens para comprar uma excursão para o Chile e saímos de lá com um pacote para fazermos uma travessia no Atlântico que saia do Porto de Salvador em 5 dias. Foi só arrumar as malas, não pensar em nada e embarcar para uma viagem que não estava na programação.

Embarcamos no porto de Salvador, ainda sem acreditar muito no que estava acontecendo. O navio era o Música, da companhia MSC. O nome era sugestivo para quem saia de um carnaval exaustivo.

O MSC MÚSICA NA ILHA DA MADEIRA

Já tínhamos feito viagens de navio antes, porém nunca com essas características e duração de viagem, seriam 15 dias de navio. o Música era um navio novo, inaugurado em 2006, de bandeira italiana, tem capacidade para 3.013 passageiros e 987 tripulantes. Possui todo o luxo que esses modernos navios de turismo têm.

PREPARADOS PARA PARTIR, AINDA SEM ACREDITAR MUITO.

Na saída Salvador faz o show. A cidade é ainda mais linda vista do mar e por um ângulo que não estamos acostumados a ver.

Um conjunto raro, que impressiona - Forte de São Marcelo, Elevador Lacerda, Palácio Rio Branco e Mercado Modelo.

Ao final da viagem constatamos que Salvador rivaliza com Veneza, o título de a mais bela vista do mar, com vantagens para Salvador. Os contrastes entre as cidades Alta e Baixa, as igrejas, os fortes e os prédios da Vitória, compõem um “skyline” único e encantador.

SALVADOR - CIDADE ALTA E CIDADE BAIXA

O "SKYLINE"DO CORREDOR DA VITÓRIA

Quando viramos o Farol da Barra, vimos um lado da cidade que nunca tínhamos visto do mar, a Orla da cidade: Ondina, Rio Vermelho, Pituba, etc. Somente quando escureceu, já estávamos nas imediações do Litoral Norte é que saímos do convés e fomos conhecer o navio com mais detalhes.

FAROL DA BARRA, NA "BOCA" DA BAÍA DE TODOS OS SANTOS

Descobrimos logo de saída, que dos 3.000 passageiros a bordo, quase a metade era de baianos e rapidamente fomos encontrando rostos conhecidos, apesar de não termos esse objetivo prévio.

Optamos pelo segundo turno do jantar (ás 21h). Ficamos numa confortável cabine, com varanda. Saímos um pouco antes e fomos para um bar no lounge do navio onde tomamos um drink e ficamos observando a movimentação das pessoas.

DECORAÇÃO SOFISTICADA NO INTERIOR DO NAVIO

Todas as noites a rotina era um pouco semelhante. Na pista de dança os casais davam um show à parte e ficávamos com inveja das performances. Logo na primeira noite fomos ao deck da piscina após o jantar e havia uma turma de baianos fazendo uma belíssima serenata, pessoas amigas e animadas. Essa rotina se repetiu por três noites, enquanto o tempo permitiu, pois na sequência, à medida que íamos nos afastando do hemisfério Sul, a temperatura foi diminuindo e ficou impraticável ficarmos no deck da piscina, à noite, pois era ao ar livre.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Travessia do Atlântico e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para TRAVESSIA DO ATLÂNTICO

  1. joaquimnery disse:

    Olá Luiz,

    Soube que você também gosta de fotografar. Que bom. Continue acompanhando o Blog. Um abraço.

  2. Luiz Neri disse:

    Maravilha Quinho, não sei o que é mais encantador: essa viagem ou as fotos.!!!

  3. Cati disse:

    Estou curiosa para saber como foi esse Atlântico!!!

    Quero ver mais fotos, Quinho!!! rs
    beijao

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s