JINGHONG – O CENTRO DA CHINA TROPICAL

20.04 – Dali – Jinghong

Cedo pela manhã pegamos o carro em direção ao aeroporto de Dali. Tivemos uma bela surpresa no caminho, pois passamos pela área nova da cidade (Xianguan), que é encantadora. Avenidas largas na beira do lago Er Hai, casas maravilhosas e nada faz lembrar a “cidade velha” onde estávamos.

Pegamos um vôo de 1h de duração para Jinghong, a capital da região de Xishuangbanna. Fica no extremo sul da China, possui clima tropical e lembra mais os vizinhos Laos, Tailândia e Myanmar, do que os outros cantos da China. Grande parte da área é de florestas tropicais, a última que restou da China.

A cidade surpreende pelas avenidas largas e muito bem cuidadas, cheias de jardins floridos e palmeiras tropicais. Seguimos para o excelente New Thai Garden Hotel. Um amplo hotel 5 estrelas, cercado de jardins.

OS JARDINS DO HOTEL DE JINGHONG

Depois de colocar as malas no hotel saímos para um tour de reconhecimento. A primeira parada foi numa Vila Dai, a minoria que é maioria em Jinghong, 30% da população local é Dai.

VILA DA MINORIA DAI EM JINGHONG

O povo Dai vive nesta área e está dividido entre China, Tailândia, Laos, Myanmar e Vietnã. Praticam a religião budista teravada, que é a mais antiga das versões do budismo, que surgiu na Índia e é relativamente conservadora e não o mahayana que é mais comum no resto da China.

TEMPLO BUDISTA TERAVADA EM JINGHONG

Os Dai são excelentes agricultores. Plantam produtos tropicais como frutas, arroz, cana-de-açúcar, seringueiras e banana.

PRODUTOS AGRÍCOLAS DOS DAI DE JINGHONG

Nas casas Dai, assim como na região do Tibet, a parte baixa é destinada aos animais de criação e a família vive no segundo piso.

MULHERES DAI NA FEIRA DE JINGHONG

Seguimos para a feira livre da cidade onde mais uma vez nos surpreendemos com os produtos das feiras chinesas (sapo-boi, uma espécie de minhoca gigante, etc.).

SAPO-BOI VIVO, PREPARADO PARA O CONSUMO NA FEIRA DE JINGHONG

MINHOCAS GIGANTES PREPARADAS PARA CONSUMO NA FEIRA DE JINGHONG

A cidade surpreende positivamente. É encantadora. As ruas são cercadas de palmeiras imperiais e jardins bem cuidados, limpas, avenidas largas e organizadas. Lembra muito cidades americanas da Florida ou Califórnia.

À noite fomos ao teatro da cidade para assistir a um espetáculo de dança e números circenses, com base na cultura das minorias chinesas (Meng Ba La Na Xi). O show era de excelente qualidade, com um figurino espetacular e performances hollywoodianas, imperdível.

  
  

Vimos muitos ocidentais, sobretudo numa rua cheia de cafés, bares e restaurantes. Paramos para jantar no Café Mekong, que pertence a um francês e serve uma comida ocidental.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em China e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s