CHEGANDO À ILHA DO SUL PELO MARLBOROUGH SOUNDS

Cedo pela manhã saímos em direção a Wellington, a capital da Nova Zelândia. A estrada passa por áreas agrícolas muito bem cuidadas, onde predomina a pecuária de ovinos e bovinos leiteiros.

AS PASTAGENS DA ILHA DO NORTE

Essa região já foi, até o final do século XIX, formada por uma densa floresta, totalmente destruída no início do século XX, dando origem a uma área agrícola de pastagens.

RESÍDUOS DE FLORESTAS DA ILHA DO NORTE

Wellington fica na ponta sul da Ilha do Norte e é a sede do governo, além de o maior centro cultural e financeiro do país. Existe na cidade um enorme acervo cultural em museus e itinerantes.

WELLINGTON - A CAPITAL DA NOVA ZELÂNDIA

A cidade fica numa das mais belas baías do mundo e tem uma topografia privilegiada, pois é cercada de montanhas.

A BAÍA DE WELLINGTON COM A CIDADE ACIDENTADA AO FUNDO

Um passeio que nos dá uma visão magnífica da Baía de Wellington é pegar o Wellington Cable Car e seguir até o Jardim Botânico e ao Carter Observatory, no alto das montanhas.

VISTA DE WELLINGTON DO ALTO DO JARDIM BOTÂNICO

No Harbourfront deixamos o carro que tínhamos alugado em Auckland e pegamos um Ferry Boat em direção à Ilha do Sul, onde pegaríamos um novo carro. À medida que nos afastamos de Wellington a cidade fica ainda mais bonita.

DEIXANDO A ILHA DO NORTE

Atravessamos o Estreito de Cook e entramos no Marlborough Sounds, um conjunto de fiords escavados nos períodos glaciais, que apresenta uma paisagem estonteante. Os fiords são baías estreitas e profundas que foram formadas pelo degelo glacial e são muito comuns na Nova Zelândia.

ESTREITO DE COOK - SEPARANDO A ILHA DO NORTE DA ILHA DO SUL

Estávamos chegando à Ilha do Sul. Uma região muito menos povoada que a do Norte e formada por montanhas e neves eternas em boa parte do seu território.

OS FIORDS DE MARLBOROUGH SOUNDS

Os Southern Alpes dividem a ilha ao meio e são responsáveis por uma gama de esportes radicais que marcam a Ilha do Sul. A natureza em sua exuberância plena é o que mais chama a atenção na Ilha do Sul.

PAISAGEM COMUM DA ILHA DO SUL

A neve e a praia ensolarada no verão ficam muito próximas uma da outra. Apenas 300km separam as terras úmidas da costa leste das áridas da costa oeste.

PICTON NA CHEGADA À ILHA DO SUL

Entramos na Ilha do Sul pelos Marlborough Sounds e chegamos a Picton, onde pegamos o carro e seguimos viagem, pois tínhamos apenas pouco tempo de sol até chegar a uma vinícola, onde ficaríamos hospedados.

AS VINÍCOLAS DA REGIÃO DE MARLBOROUGH

Chegamos ao nosso hotel, numa vinícola no Wairau Valley, a mais importante área de produção de vinhos da Nova Zelândia.

O WAIRAU VALLEY

O Wairau Valley fica na região de Blenheim a maior cidade da região de Marlborough, que se desenvolveu como consequência da indústria do vinho, onde o Sauvignon Blanc é a estrela local.

O SOL NASCENDO NA VINÍCOLA DO WAIRAU VALLEY

Por tudo isso o Sauvignon Blanc do Wairau Valley na região de Marlborough é um vinho recomendado.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Nova Zelândia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para CHEGANDO À ILHA DO SUL PELO MARLBOROUGH SOUNDS

  1. joaquimnery disse:

    Olá Plínio. Que bom que você está acompanhando. Existem no blog viagens maravilhosas. Um abraço. Nery

  2. Plínio Mesquita de Araujo Filho disse:

    Continue nos presenteando com suas fotos fantásticas. Um abraço, Plinio Mesquita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s