KONYA A TERRA DOS DERVIXES

Saímos de Pamukkale e continuamos a viagem em direção à região central da Turquia, com destino à Capadócia. Estávamos na Anatólia Central. Uma região árida, porém de solos férteis e com muitas paisagens agrícolas no caminho. A maior parte do trigo da Turquia é produzido aí.

Paisagem agrícola da Anatólia Central

Paisagem agrícola da Anatólia Central

Toda a Turquia é bastante castigada por terremotos e por onde passamos é possível ver vestígios de destruições provocadas por esse fenômenos da natureza.

Construção afetada por terremoto no interior da Turquia

Construção afetada por terremoto no interior da Turquia

Na Anatólia Central, a caminho da Capadócia que era o nosso principal destino no interior da Turquia, tivemos uma parada em Konya. Uma cidade com cerca de 2 milhões de habitantes e que tem mais de 2 mil anos de existência.

A entrada do Museu Mevlana em Konya

A entrada do Museu Mevlana em Konya

A parada em Konya é obrigatória, pois a cidade é um centro de peregrinação muçulmana. É lá que está a tumba de Jalal Ad-Din Muhammad Rumi, um místico “sufi”, também conhecido como Mevlana. A presença da tumba de Mevlana faz de Konya um centro de peregrinação. Mevlana fundou a ordem que leva o seu nome e morreu em Konya em 1273.

A Tumba de Mevlana

A Tumba de Mevlana

O sufismo é uma corrente islâmica que procura encontrar uma relação própria com Deus e para isso usa música, dança e meditação. O uso da música e da dança é considerado uma prática ilegal para muitas correntes islâmicas, que consideram a doutrina sufi, como uma doutrina herética.

Konya - o centro de peregrinação dos sufistas

Konya - o centro de peregrinação dos sufistas

A ordem Mevlana do sufismo prega a tolerância, a compreensão e a misericórdia e muitas vezes são representadas pelos “Dervixes”. São praticantes do sufismo que procuram uma relação direta com Deus a partir da música e da dança.

Imagem de um dervixe no caminho de Konya

Os Dervixes quando dançam, rodopiam sem parar por cerca de 10 minutos, como forma de meditação. Parecem que estão flutuando. Quando terminam, devido à meditação, seguem caminhando sem ficar tontos. Ao dançar, os dervixes colocam as palmas da mão, uma para cima e outra para baixo, que simbolizam a benção do céu e a comunicação com a terra.

A dança dos Dervixes.

A dança dos Dervixes.

Konya é a cidade mais religiosa da Turquia. No mês de novembro, reúne dervixes do mundo inteiro. O Museu Mevlana, onde está o mausoléu é um espaço sagrado. Nele aparecem tapetes, manuscritos, instrumentos musicais e uma incrível coleção de belas cópias do alcorão.

Relíquia no Museu Mevlana

Relíquia no Museu Mevlana

Tumbas sagradas

Chegamos à Capadócia no finalzinho da tarde. Logo na chegada a paisagem impressiona, pelas formações rochosas exóticas no caminho até o hotel. Paramos para tirar fotos nas primeiras “Chaminés de Fadas” que vimos e ficamos na maior expectativa sobre como seria o dia seguinte.

As Chaminés de Fadas

As Chaminés de Fadas

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Turquia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s