BOTSWANA UM PARAÍSO DA VIDA SELVAGEM – mar/2012

No segundo dia de viagem na África, seguimos para Botswana, o país faz fronteira com a parte norte da África do Sul. Pela manhã bem cedo, pegamos um voo para Maun, uma pequena cidade no interior da Botswana. O inglês é o idioma oficial, foi colonizado pelos ingleses e tornou-se independente em 1966.

Chegando em Botswana

Chegando em Botswana

Há 50 anos atrás, Botswana era um dos países mais pobres do mundo. Descobriu muito diamante e essa história mudou um pouco. Desde a década de 60, é um dos países que mais cresce no mundo. Há vários anos cresce com taxas em torno de 9% ao ano. As coisas melhoraram um pouco, porém as dificuldades são enormes.

A maior de todas  é o sofrimento provocado pela Aids. Cerca de 35% dos adultos de Botswana possuem Aids, o que derrubou a expectativa de vida para aproximadamente 50 anos, uma das mais baixas do mundo. De cada três adultos, um possui Aids em Botswana.

O país possui aproximadamente 2 milhões de habitantes. A maior parte da população vive na moderna Capital Gaborone. A cidade Maun é a quinta maior do país, possui aproximadamente 45.000 habitantes. Fica na entrada do Delta do Okavango, onde estão a maioria dos Parques Nacionais de Botswana.

Imagem aérea do Delta do Okavango

Imagem aérea do Delta do Okavango

Chegamos a Maun às 11h da manhã e pegamos um voo de curta duração, em um avião panorâmico para o nosso primeiro acampamento. Antes de seguirmos viagem, ainda em Maun, tivemos uma surpresa. Não sabíamos que no avião pequeno que iríamos tomar para os acampamentos, não podíamos levar malas convencionais, apenas sacolas. Tivemos que comprar duas sacolas improvisadas, transferir rapidamente parte das nossas roupas e despachar as malas, com o que sobrou, para Kasane, cidade onde chegaríamos 7 dias depois.

Pista de pouso em Chitabe Lediba

Pista de pouso em Chitabe Lediba

De Maun, seguimos para o Acampamento Chitabe Lediba. Foram 15 min de voo até chegarmos à pista de pouso, onde uma Land Rover nos aguardava com dois “rangers” (guias de safari). Seguimos para o acampamento onde fomos recebido pelo pequeno staff local. No caminho os primeiros animais já começaram a aparecer, como que dando as boas vindas.

A girafa nos esperava ao lado da pista de pouso

A girafa nos esperava ao lado da pista de pouso

Antes mesmo de chegarmos ao acampamento vimos girafas, kudus, babuínos, mas a melhor surpresa foi um casal de “storks”, uma bela ave colorida, que mais parece uma peça de design. Os storks possuem pernas longas e um bico colorido (vermelho, preto e amarelo). O casal estava a nossa espera, numa lagoa perto do acampamento, possibilitou belas fotos.

Os storks são aves grandes e bastante coloridas

Os storks são aves grandes e bastante coloridas

O Chitabe Lediba fica no Delta do Okavango, um dos destinos mais procurados para safaris fotográficos do continente africano. O rio Okavango nasce em Angola e segue para sul, passando pela fronteira entre Angola e Namíbia até entrar em Botswana, onde ele se espalha em milhares de rios menores e grandes áreas alagadas, que vão lentamente desaparecendo na aridez do Deserto do Kalahari.

Delta do Okavango - água em abundância numa região árida

Delta do Okavango - água em abundância numa região árida

O Delta do Okavango possui, por tudo isso, uma geografia única. É o maior delta de drenagem arréica (desaparece no continente) do mundo. A consequência disso é que o Okavango drena uma imensa área semiárida, levando para lá, uma densa vida vegetal. A savana do Okavango atrai milhões de animais herbívoros (impalas, zebras, gnus, elefantes, girafas, antílopes, kudus, etc.). Os herbívoros vivem aí e os predadores, claro, também. Daí a grande concentração de vida selvagem do Delta do Okavango.

Zebras na região do Okavango

Zebras na região do Okavango

Os acampamentos fixos, como o Chitabe Lediba ficam espalhados pelo delta e são bases excelentes para um safari profundo e detalhado. Nos acampamentos existem amplas tendas, com banheiro privativo, água quente, energia, restaurante e todo o conforto de um pequeno hotel.

O interior da tenda do Acampamento Chitabe Lediba

O interior da tenda do Acampamento Chitabe Lediba

Os horários são rígidos, pois existem horas mais estratégicas para vermos os animais. Às 16h estávamos numa área de reunião, como um lobby do acampamento, para sairmos em nosso primeiro safari no Delta do Okavango.

Acampamento Chitabe Lediba

Acampamento Chitabe Lediba

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Botswana e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para BOTSWANA UM PARAÍSO DA VIDA SELVAGEM – mar/2012

  1. Bartira Duarte Santana e Souza disse:

    Aff…encantada com o exotismo de Botswana

  2. joaquimnery disse:

    Olá Edison,
    Botswana é o tipo de destino que você deve fazer sempre com uma orientação de uma Agência de Viagens. Caso você tenha interesse, a Via Alegria pode te ajudar (71)3797-6130 ou contato@viaalegria.com.br . Um abraço.

  3. Edison P. dos Santos disse:

    Gostei desse lugar como fazer para conhecer tambem?

  4. allan disse:

    lugar legal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s