A CACHOEIRA DO BURACÃO EM IBICOARA – UMA PAISAGEM CINEMATOGRÁFICA

Saímos cedo do hotel em direção a Ibicoara. São 70 km desde Mucugê, percorrendo uma boa estrada. No caminho vimos os projetos agropecuários da Chapada Diamantina, nas imediações da Barragem do Apertado. São grandes propriedades que desenvolvem uma agricultura intensiva, totalmente irrigada e moderna.

As belas paisagens nos arredores de Ibicoara.

As belas paisagens nos arredores de Ibicoara.

Em Ibicoara encontramos o excelente guia (Reis – (77)9196-3457) e seguimos por mais 30 km, em estrada de barro, até onde começa a trilha que leva à Cachoeira do Buracão. Na estrada uma paisagem maravilhosa, cortamos a Serra do Sincorá.

A passagem através da Serra do Sincorá

A passagem através da Serra do Sincorá

Reis conta uma história em que ele aparece como protagonista. Segundo ele, foi um dos primeiros guias de Ibicoara a descobrir e divulgar para o mundo a Cachoeira do Buracão. Na década de 90 ouviam histórias de caçadores, sobre uma incrível cachoeira na região. Organizaram uma expedição e descobriram a trilha do Buracão. A partir daí o trabalho foi preparar a trilha para o turismo, contando com o apoio da prefeitura, que criou o Parque Municipal do Espalhado para preservar a área.

Kika e Reis, o nosso guia, descendo a trilha para o Buracão.

Kika e Reis, o nosso guia, descendo a trilha para o Buracão.

Fizemos uma primeira parada numa localidade denominada de Campo Redondo, formada por sítios, num vale verdejante e fértil. O vale possibilita boas fotos e atrai comunidades de vida alternativa. A região é considerada ideal para contatos com extraterrestres.

O Vale do Campo Redondo

O Vale do Campo Redondo

Deixamos o carro na entrada do Parque Municipal do Espalhado e seguimos andando. O caminho é muito bonito. A região é formada por um imenso lajedo, denominado de Espalhado. Seguimos bordejando o curso da água.

O Parque Municipal do Espalhado

O Parque Municipal do Espalhado

Fizemos uma nova parada no Canyon do Buraquinho. A imensidão das rochas e o trabalho que a erosão fez ao longo do tempo geológico já chama a atenção e nos enche de expectativa sobre o que virá.

Canyon do Buraquinho

Canyon do Buraquinho

Andamos mais algumas centenas de metros e chegamos à parte alta da Cachoeira do Buracão. Ficamos na borda do precipício. Lá de cima dá para entender a magia do lugar. A natureza aqui foi perfeita e caprichosa. A cachoeira despenca de uma altura de 85m. É possível ficar bem na borda e ter uma sensação única da altura e do movimento das águas.

A Cachoeira do Buracão

A Cachoeira do Buracão

Seguimos pela borda do canyon e começamos a descer a trilha. O nosso objetivo era entrar no Buracão. Para isso uma descida íngreme e uma paisagem de ficção cinematográfica. A sensação quando se desce a trilha do Buracão é que você está participando de um filme de Steven Spilberg.

A vegetação é abundante na trilha para o Buracão

A vegetação é abundante na trilha para o Buracão

Quando chegamos na base do Buracão, a aventura continuou. Pegamos coletes salva-vidas, atravessamos uma ponte improvisada sobre o canyon por onde a água do Buracão é escoada.

A ponte improvisada atravessa o canyon do Buracão.

A ponte improvisada atravessa o canyon do Buracão.

Do outro lado da ponte fomos nos esgueirando, colados ao paredão da rocha, pela parede do canyon. Impossível não lembrar de Tom Cruise em “Missão Impossível”. São cerca de 200m até aparecer a imagem mágica.

O caminho para o Buracão

O caminho para o Buracão

Um imenso buraco cavado pela água, com aproximadamente 50m de diâmetro. Ao fundo despenca a cachoeira com 85m de altura. A água sai dessa área pelo canyon rio abaixo.

A incrível imagem da Cachoeira do Buracão

A incrível imagem da Cachoeira do Buracão

A água é gelada, mas não dá para chegar aqui e não cair. Nadamos até a base da cachoeira e ficamos por algum tempo tomando banho naquele ducha maravilhosa, com a sensação de que “o melhor lugar do mundo é aqui e agora”.

"O melhor lugar do mundo é aqui e agora..."

“O melhor lugar do mundo é aqui e agora…”

Quando chegamos, os únicos turistas que estavam no Buracão, já começavam a sair. Ficamos sozinhos naquele paraíso, com uma sensação esquisita de que aquilo em volta era tudo que interessava nas nossas vidas.

Nadando na água gelada do Buracão.

Nadando na água gelada do Buracão.

Vale muito a pena

Vale muito a pena

Acordamos do sonho e começamos a fazer o caminho de volta. Deixamos para trás uma das maravilhas da natureza. Deu tempo para um último banho no poço do Espalhado.

O Poço do Espalhado

O Poço do Espalhado

Chegamos a Mucugê à noite. Fomos jantar no excelente Restaurante Point da Chapada. Um bom espaguete ao molho de tomate com filé a parmegiana. Impossível não lembrar de Jaguaquara.

O belo por-do-sol na volta para Mucugê

O belo por-do-sol na volta para Mucugê

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Bahia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para A CACHOEIRA DO BURACÃO EM IBICOARA – UMA PAISAGEM CINEMATOGRÁFICA

  1. Marcus disse:

    Parabéns pelas fotos e pelo texto.
    Estive lá no dia 15ago16.
    O volume de água estava bem maior. Essa “ducha” das fotos seria quase impossível. Uma pena!
    Nosso guia foi o Ramón, cunhado e excelente pupilo do Reis.
    Agora, na entrada do parque se paga $6,00 por visitante.
    Entrada permitida apenas com guia local e cadastrado ($30,00 por pessoa), mesmo q chegue até o local com guia de fora.
    Acho q o acesso em sua parte final é inapropriado para crianças e pessoas com alguma dificuldade de locomoção.
    Experiência extraordinariamente marcante.
    Imperdível.

  2. Muito obrigado! Então vou participar da celebração em Mucugê!

  3. joaquimnery disse:

    O São Joao é comemorado em todas as cidades do interior do Nordeste brasileiro, sobretudo na Bahia. Na Chapada Diamantina, as melhores festas ficam em Lençóis e em Mucugê. Acho a de Mucugê mais interessante.

  4. Olá Joaquim! Eu vou viajar para o Brasil em junho e eu gostaria de saber mais sobre a festa de São João, ela é celebrada em toda a área da Chapada? Vou estudar teu blog! ciao de Italia, Paola

  5. joaquimnery disse:

    Olá Carlos,

    A trilha do Buracão é relativamente fácil e é sim possível levar uma criança de 7 anos. A caminhada mais longa é plana e sem muitos obstáculos. Quando você chega próximo ao Buracão, a descida é íngreme, é necessário um cuidado e atenção maior. Para tomar banho é obrigatório o uso de coletes salva-vidas. Se ele gostar de aventuras, vai amar.

    Um abraço,

    Nery

  6. carlos carneiro disse:

    gostaria de saber se é adequado (cabível) levar meu filho de 7 anos? Somos só eu e ele.

  7. Anônimo disse:

    que legal…

  8. joaquimnery disse:

    Olá,

    A Chapada Diamantina pode ser visitada o ano inteiro, não existindo época necessariamente melhor ou pior. As chuvas são mais comuns no verão e de fato após as chuvas você pode ter as cachoeiras com mais água. Nem sempre isso é o ideal, pois lugares como o Buracão, quando o volume de água é muito grande ficam mais difíceis de serem visitados. No inverno a temperatura é mais agradável e além disso você pode participar dos festejos de São João que duram o mês inteiro (junho). As cidades ficam enfeitadas e isso é um atrativo a mais.

  9. Anônimo disse:

    Qual é a melhor época para ir até a Chapada? Me disseram que seria na época do fina das chuvas pois os rios estariam cheios e teria uma paisagem e uma cobertura maravilhosa.

  10. joaquimnery disse:

    Não se paga para visitar a Cachoeira do Buracão, mas você precisa ir acompanhado de um guia, que pode ser contratado em Ibicoara.

  11. Enée disse:

    Olá, quanto vocês gastaram para realizar esse passeio? Obrigada!

  12. Pingback: O CÂNION DO ITAIMBEZINHO | Um Pouquinho de Cada Lugar - Joaquim Nery

  13. Guta Cunha disse:

    Que lugar incrivel!!! A Chapada a cada dia ganha mais lugares na lista de lugares que eu preciso conhecer logo! Maravilhoso!

  14. Lorda ribeiro disse:

    Fiz essa aventura maravilhosa, Quinho, só que vc apresentou novidades:a ponte improvisada não existia há 5 anos atrás qdo fui.O percurso até a cachoeira era todo pela água segurando numa corda por conta da correnteza.É realmente deslumbrante
    .Estou louca pra voltar lá.Amo a Chapada toda!!!!Bjos e parabéns pelas belas fotos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s