O MURO DE BERLIM

Hoje, continuamos com sorte. O tempo estava maravilhoso e o céu azul possibilitou boas fotos. Saímos para um tour de carro, com uma guia equatoriana, que tinha morado no Brasil e falava português. O objetivo era percorrer alguns lugares diferentes em relação aos passeios mais comuns da cidade.

Bandeira da Alemanha

Bandeira da Alemanha

A ênfase do dia foi sobre o período da Guerra Fria, quando a cidade permaneceu dividida em duas partes (Berlim Ocidental e Berlim Oriental). A decisão de dar a Berlim o mesmo tratamento da Alemanha do pós-guerra, quando o país ficou dividido em pedaços sobre a influência de URSS, EUA, França e Reino Unido, criou na cidade um clima de incerteza e fez dela um dos principais ícones da Guerra Fria.

A divisão de Berlim entre URSS, EUA, França e Reino Unido

A divisão de Berlim entre URSS, EUA, França e Reino Unido

No início a separação entre Berlim Ocidental e Berlim Oriental era feito por cercas de arame-farpado. A fragilidade da cerca e as constantes fugas de cidadãos da Berlim Oriental (comunista) para a Berlim Ocidental (capitalista) motivaram a construção de um muro separando os dois pedaços e isolando o território da Berlim Ocidental.

Soldado da Alemanha Oriental foge para a Alemanha Ocidental

Soldado da Alemanha Oriental foge para a Alemanha Ocidental

O Muro foi construído pelo governo comunista na madrugada do dia 13 de agosto de 1961 e tinha o objetivo de isolar a Berlim Ocidental e conter a fuga dos cidadãos da Berlim Oriental pela divisa entre as duas cidades. Famílias e amigos ficaram definitivamente separados e impedidos de se ver.

Do lado ocidental o Muro era totalmente grafitado.

Do lado ocidental o Muro era totalmente grafitado.

Durante 28 anos o Muro cumpriu o seu papel de isolamento da Berlim Ocidental. A Queda do Muro aconteceu em 9 de novembro de 1989, e deu início a uma série de manifestações e negociações para a reunificação da Alemanha, que somente aconteceu no ano seguinte.

A Queda do Muro de Berlim em 1989

A Queda do Muro de Berlim em 1989

Existem ainda muitas áreas em que pedaços do Muro de Berlim pode ser visto é como se fosse um museu a céu aberto e serve de reflexão e compreensão de um momento complexo da história alemã. Visitamos algumas dessas áreas. O Muro quando intacto, chegava a mais de 100km de extensão.

Pedaços do Muro de Berlim

Pedaços do Muro de Berlim

Na realidade eram dois muros em paralelo, separados por uma faixa que em alguns pontos podia chegar a 100m de largura, conhecida como Zona da Morte. Nessa faixa existiam patrulhas motorizadas, ficavam policiais da Alemanha Oriental (comunista) e qualquer cidadão que tentasse ultrapassar esse limite poderia ser morto pelo regime. Existiam postos de observação elevados que serviam para fiscalizar a área interna do Muro.

O Muro de Berlim e a Zona da Morte

O Muro de Berlim e a Zona da Morte

Trecho da "Zona da Morte".

Trecho da “Zona da Morte”.

Em seguida fomos para o Memorial Soviético do Treptower Park,  que foi criado logo após a Segunda Guerra Mundial, em 1949, e era o principal memorial no lado oriental de Berlim. Foi construído não apenas como um memorial de guerra, mas também como um cemitério militar para cerca de 5 mil combatentes soviéticos que morreram nos dois meses da Batalha de Berlim no início de 1945.

O Memorial Soviético do Treptower Park

O Memorial Soviético do Treptower Park

O Memorial é gigantesco e um lugar de forte reflexão sobre os males da Guerra.

Detalhe do Memorial Soviético.

Detalhe do Memorial Soviético.

A nossa última visita importante em Berlim foi ao prédio do Parlamento Federal Alemão, o Reichstag. O prédio foi construído no final do século XIX e foi protagonista de um dos episódios marcantes na ascensão do nazismo. O incêndio que o prédio sofreu em 1933 serviu de pretexto para Hitler combater os comunistas e propor a assinatura de um decreto anulando muitos dos Direitos Humanos na Alemanha.

O prédio do Reichstag.

O prédio do Reichstag.

O prédio foi bastante danificado pelos bombardeios da Segunda Guerra Mundial. A sua reconstrução aconteceu após a guerra, tendo sido reinaugurado em 1972, mas ele somente retomou as funções de parlamento Alemão em abril de 1999, já com a Alemanha reunificada.

A cúpula de vidro do prédio do Parlamento Alemão.

A cúpula de vidro do prédio do Parlamento Alemão.

Hoje é possível visitar o Reichstag. No seu interior, uma imensa torre de espelhos, no centro da cúpula de vidro, dá o tom de modernidade. Uma grande rampa permite a visitação até a parte mais alta do prédio. À medida que vamos subindo a rampa, um audioguia nos dá informações sobre o que vemos do lado de fora.

A torre de espelhos do Reichstag.

A torre de espelhos do Reichstag.

Amanha vamos deixar Berlim e fazer um giro pela Alemanha.

O Portão de Brandemburgo - Símbolo maior de Berlim

O Portão de Brandemburgo – Símbolo maior de Berlim

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Alemanha e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O MURO DE BERLIM

  1. jamile disse:

    Maravilhoso esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s