O PARQUE É DA CIDADE E DO CIDADÃO

Este artigo foi publicado no Jornal O Correio em 13/11/2012.

Londres é uma Feliz Cidade. Possui muitos parques, que fazem da capital inglesa uma cidade verde apesar do passado cinzento. Muitos deles foram implantados por Henrique VIII, eram áreas destinadas à caça dos nobres ingleses na Idade Média. Os parques londrinos são cheios de vida, especialmente no verão, onde é comum a prática de caminhadas, corridas e ciclismo. São verdadeiras praias para os cidadãos que se deitam na grama, fazem pique nique e relaxam para valer.

Trecho do Hyde Park em Londres

Trecho do Hyde Park em Londres

O maior de todos os parques londrinos é o Hyde Park, localizado no coração da cidade. Está integrado a dois outros menores (Saint James e Green Park). É um dos espaços públicos mais procurados.

O Parque Saint James

O Parque Saint James

O St James, muitos consideram o mais bonito. Como fica numa região central, é ponto de encontro de funcionários públicos, que circulam ao redor do lago cheio de patos e cisnes. O Green Park fica ao lado do Palácio de Buckingham. Os três formam um conjunto integrado. Lugares de encontros e convivência, humanizando a capital inglesa.

Portão de entrada do Green Park

Portão de entrada do Green Park

O Central Park fica no coração de Nova York. É o principal Play Ground da cidade, possui 340 ha e é também lugar de encontros e convivências. A população da cidade ama o seu parque. No verão deitam-se na grama, no outono se acasalam, no inverno se divertem na neve e na primavera se apaixonam.

A neve no Central Park

A neve no Central Park

O Bois de Boulongne fica numa extremidade de Paris. Possui uma importância vital para a cidade, uma área equivalente a 2,5 vezes o Central Park. Nos finais de semana multidões se encontram em caminhadas, passeios de bicicleta, corridas, ou simplesmente se divertem.

A mancha verde do Bois de Boulongne engole Paris

A mancha verde do Bois de Boulongne engole Paris

O Parque Ibirapuera em São Paulo, como todos os grandes parques das metrópoles mundiais, cumpre o papel de socialização e diversão familiar. Lugar para caminhar, correr, passear, fazer pique nique, assistir a shows, ou simplesmente namorar.

Em Salvador, o Parque da Cidade é igualmente lindo, deveria cumprir o papel dos grandes parques metropolitanos. É pequeno, um suspiro de verde, com reserva de mata numa cidade densamente ocupada, porém o nosso “Parque” não é da Cidade, pois não foi entregue aos cidadãos. Lugar de violência, medo e assaltos nas sinaleiras.

O Parque de Pituaçu é orgulho de ambientalistas, mas também precisa ser entregue aos cidadãos. Arriscar uma caminhada somente se for em multidão. A ciclovia ao redor do lago não pode ser usada, pois a violência ronda o parque.

O Parque São Bartolomeu no Subúrbio Ferroviário é símbolo de religiosidade. Lugar sagrado, hoje abandonado, é o mais inseguro de todos. Ponto de desova da violência urbana de Salvador.

Os poucos e pequenos parques que temos precisam ser entregues à cidade e aos cidadãos. Segurança, conservação, entretenimento, cuidado com equipamentos, são questões vitais para iniciarmos a busca por uma Feliz Cidade.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Artigos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s