BASEL – O INÍCIO DO CRUZEIRO PELO RIO RENO

Saímos de Constança e deixamos nossos amigos e companheiros de viagem, Dr Alberto Vasconcelos e Dra. Kika Teixeira para trás. Eles seguiram até Frankfurt de trem e de onde partiriam para Praga e Budapeste. O nosso destino era outro. Seguimos para Basel ou Basiléia, na Suíça, onde pegamos um cruzeiro pelo Rio Reno até Amsterdã.

A Cidade de Basel

A Cidade de Basel

Viajamos pelas excelentes Autobahn do sul da Alemanha (esse é o nome que se dá às auto estradas alemãs), que são mundialmente famosas pela qualidade das pistas e pelo fato de não haver limite de velocidade, portanto é comum um motorista a 130km/h ser surpreendido por um carro super esportivo que lhe ultrapassa a 180 ou 200km/h.

Chegamos a Basel e não tínhamos muitas informações sobre a cidade, pois seria apenas um entreposto de acesso ao nosso barco. Procuramos informações na internet sobre o que fazer em Basel. Fizemos a consulta com essa pergunta: “O que fazer em Basel?”. Para surpresa nossa o site de maior relevância com essa consulta era (http://umabrasileiranasuica.wordpress.com/o-melhor-e-o-pior/), que começava o texto  dizendo: “Se você está pensando em visitar Basel, pense duas vezes e se puder, desista…”. Ficamos assustados com a opinião da blogueira que vive na Suíça, morou em Basel e detesta a cidade.

Transporte público em Basel

Transporte público em Basel

Basel é a terceira maior cidade da Suíça, fica na parte norte do país, na fronteira com Alemanha e França. Possui aproximadamente 170.000 habitantes e destaca-se como um grande polo de produção petroquímica e de indústrias farmacêuticas. É também sede de grandes bancos e seguradoras, o braço forte da economia suíça.

As chaminés atrapalham o horizonte de Basel

As chaminés atrapalham o horizonte de Basel

O dia não ajudava a que mudássemos de opinião. Fazia uma tarde fria e chuvosa de sábado. Saímos para uma volta no centro histórico, mas a cidade, de fato, carecia de atrativos turísticos. O Rio Reno corta Basel, mas a paisagem fica embaçada pelas chaminés das indústrias químicas. A localização privilegiada, nas margens do rio e na fronteira com outros dois países favoreceram o desenvolvimento da cidade. Tiramos fotos na ponte sobre o Reno e voltamos para o hotel onde havia um bom restaurante.

A vida em Basel

A vida em Basel

No dia seguinte pela manhã voltamos ao centro histórico de Basel. O tempo estava melhor, o sol surgiu de repente e pudemos ver alguns monumentos. No centro histórico destaca-se o prédio da prefeitura.

O belo prédio da prefeitura de Basel

O belo prédio da prefeitura de Basel

Decidimos ir em busca do nosso destino. O S.S. Antoinette (o Super Ships). O excelente navio onde embarcamos para um cruzeiro de oito dias descendo o Rio Reno de Basel até Amsterdã.

O SS Antoinette

O SS Antoinette

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Alemanha, França, Suíça e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s