CHENONCEAU, O CASTELO DAS SETE DAMAS

Saímos de Tours e seguimos para o Castelo Chenonceau. Muitos dizem que é o mais belo dos castelos do Loire e, de fato, desde a chegada, o Castelo se mostra diferente de tudo que já vimos. Na chegada os jardins já impressionam. Um longo caminho de plátanos, cercado de muita água leva até o sítio do Castelo.

O acesso de plátanos ao Castelo Chenonceau

O acesso de plátanos ao Castelo Chenonceau

Nos arredores do castelo, belos jardins simétricos compõem o visual, que se completa com o reflexo do Chenonceau nas águas do rio Cher, um dos afluentes do Rio Loire.

Os jardins de Chenonceau

Os jardins de Chenonceau

O Castelo de inigualável beleza foi construído sobre uma ponte que atravessa o rio, como um capricho dos seus idealizadores. É o segundo castelo mais visitado da França, perdendo apenas para Versalhes. Forma uma imensa galeria com 60 metros de comprimento, construída sobre arcadas.

O Castelo Chenonceau.

O Castelo Chenonceau.

A história do castelo vem da Idade Média, século XIII, mas a formação atual começou a surgir no século XVI, com Thomas Bohier, Camareiro do Rei Carlos VIII, que o adquiriu em 1513. Thomas Bohier iniciou a construção do Castelo, que teve a supervisão direta da sua esposa Catherine Briçonnet, que iniciou a sina de fazer com que Chenonceau fosse denominado o “Castelo das Sete Damas”, duas das quais foram Rainhas da França. Catherine foi a primeira destas Damas.

A Grande Galeria

A Grande Galeria

A segunda e mais importante das mulheres que ocuparam o Castelo de Chenonceau foi Diana de Poitiers, amante de Henrique II, que recebeu o castelo de presente do seu Rei. Diana cuidou do Castelo como ninguém, foi a verdadeira Senhora do Castelo. Construiu os seus maravilhosos jardins e somente perdeu a propriedade com a morte de Henrique II em 1559.

Quarto de Rainha do Palácio Chenonceau

Quarto de Rainha do Palácio Chenonceau

Com a morte de Henrique II, a viúva e regente da França, Catarina de Médicis, assumiu o Castelo e desalojou Diana De Poitiers. Como não podia despejá-la totalmente, trocou o Castelo de Chenonceau pelo Castelo de Chaumont, onde Diana de Poitiers passou a viver.

Retrato de Catarina de Medicis

Retrato de Catarina de Medicis

Catarina de Medicis passou a ser a terceira Dama de Chenonceau, gastou uma fortuna no Palácio, fazendo reformas e festas espetaculares. Foi Catarina quem construiu a Grande Galeria sobre o Rio Cher, a marca maior do Castelo Chenonceau. Outra “festa de arromba” de Catarina em Chenonceau aconteceu na coroação do seu filho, Henrique III, ao trono da França, quando ela executou a primeira queima de fogos de artifícios no país.

Detalhes da cozinha do Palácio Chenonceau.

Detalhes da cozinha do Palácio Chenonceau.

Após a morte de Catarina de Medicis em 1589, o Palácio passou para a sua nora, Louise de Lorraine-Vaudémont, esposa de Henrique III que morreu muito jovem. Com a morte de Henrique III, Louise, a quarta Dama do Palácio, entrou em depressão, passou a usar apenas roupas brancas, decorou o seu quarto com tapeçarias pretas (é assim até hoje) e acabou com as festas do Palácio. Chenonceau passou a viver sobre uma eterna atmosfera de luto.

A cama fúnebre de Louise de Lorraine.

A cama fúnebre de Louise de Lorraine.

Gabrielle d’Estrées, amante de Henrique IV, foi a quinta Dama a viver no Palácio, a partir de 1624. Françoise de Lorraine, a Duqueza de Vendôme foi a sexta.

Detalhe do Castelo Chenonceau

Detalhe do Castelo Chenonceau

A última grande Dama do Palácio foi Madame Luise Dupin, que trouxe a vida de volta ao Palácio recebendo líderes do Iluminismo como: Voltaire, Montesquieu e Jean-Jacques Rousseau, dentre outros. Conseguiu salvar o Palácio da destruição durante a Revolução Francesa, negociando com os seus líderes.

A riqueza de decoração no interior do Palácio.

A riqueza de decoração no interior do Palácio.

À noite voltamos para Blois e fomos jantar no excelente e barato restaurante Le Hotel Antique, com um serviço maravilhoso e aconchegante.

Os plátanos dão um show de imagem

Os plátanos dão um show de imagem

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em França e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para CHENONCEAU, O CASTELO DAS SETE DAMAS

  1. Oliva Silva disse:

    Muito obrigada Joaquim.
    Esse castelo é simplesmente deslumbrante!

  2. Djalma disse:

    MARAVILHOSO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s