O MERCADO DE PEIXES E O LEILÃO DE ATUM DE TÓQUIO.

11 de outubro de 2013

Acordamos de madrugada, às 3h da manhã para conhecer o Mercado de Peixes de Tóquio e o famoso “leilão de atuns”. O programado era sair do hotel às 4h para conseguir assistir ao leilão. Chegamos no mercado às 3:50h e fomos o último grupo a conseguir entrar. Parte das pessoas que estavam em nossa excursão não conseguiram, pois chegaram 5 minutos depois.

https://joaquimnery.files.wordpress.com/2013/11/dsc_0836.jpg

Fomos os últimos a entrar no Mercado de Peixes.

Assistir ao leilão é gratuito, mas eles permitem apenas 120 pessoas por dia e o acesso se dá por ordem de chegada. Não adianta tentar fazer reserva. O grupo é dividido em duas turmas de 60 pessoas cada. A primeira turma entra às 5:15h e a segunda às 5:50h. Ficamos para a segunda turma.

Os dois grupos aguardando a entrada para o leilão de atum.

Os dois grupos aguardando a entrada para o leilão de atum.

Quando entramos no mercado, o grupo é orientado a andar em fila indiana e acompanhado por um “guarda” local. Andamos em meio aos carros, pequenos tratores e outros veículos que se movimentavam freneticamente para todos os lados, demonstrando um logística complexa e super ativa.

O trabalho é frenético no mercado de peixes.

O trabalho é frenético no mercado de peixes.

Entramos no local onde acontecem os leilões e fomos conduzidos para um espaço de observação. No chão ficam os vários lotes de atuns gigantes que serão leiloados. Os compradores passam por cada lote observando as suas características e aguardando a hora dos lances. Manipulam os peixes que estão congelados, fazem anotações, retiram pedaços de carne e amassam nas mãos para que ela descongele a adquira uma textura mais próxima do normal e aguardam a hora do leilão.

O salão do leilão no Mercado de Peixes.

O salão do leilão no Mercado de Peixes.

Os sinos começam a tocar e os leiloeiros sobem em bancos improvisados e começam a estimular os lances oferecidos pelos compradores ali presentes, até que haja um vencedor, que finalmente arremata o lote.

Leiloeiro em ação.

Leiloeiro em ação.

Nos grandes leilões, os atuns podem ser vendidos por até R$ 3,58 milhões de reais. Esse foi o recorde alcançado em janeiro de 2013 pagos por um atum de 222 kg. Dali, os peixes vendidos saem direto para a transformação, encaixotamento e são encaminhados para exportação.

Lote de atuns arrematado no leilão.

Lote de atuns arrematado no leilão.

Após o leilão voltamos para o hotel onde tomamos o café-da-manhã.

Depois de vendidos os atuns são industrializados no local.

Depois de vendidos os atuns são industrializados no local.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Japão e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s