AS PRIMEIRAS INFORMAÇÕES SOBRE CHICAGO

Acordamos bem cedo para deixar Jackson Hole para trás e seguir viagem até Chicago, começaria aí a segunda etapa dessa nossa viagem para Estados Unidos e Canadá. Pegamos um voo de 2 horas até Denver um dos maiores “hubs” aéreos dos Estados Unidos. Denver fica numa posição geográfica bem central e por isso muitos voos convergem e saem daí para os principais destinos americanos. É um dos aeroportos mais movimentados do país. Nevava forte em Denver, por isso o nosso voo para Chicago sofreu um atraso de quase duas horas. Chegamos em Chicago às 18h.

O Aeroporto de Denver.

O Aeroporto de Denver.

Seguimos para o excelente Hotel Península Chicago, localizado no coração mais agitado da cidade. Jantamos ali ao lado, num restaurante italiano simples, mas foi a melhor opção em função de um dia inteiro de viagem.

As tulipas alegram a primavera de Chicago.

As tulipas alegram a primavera de Chicago.

No dia seguinte pela manhã saímos para descobrir Chicago, a terceira maior cidade americana. Uma cidade jovem e próspera. A história de Chicago está intimamente relacionada ao sucesso do complexo sistema de transporte que os EUA desenvolveu na sua porção Nordeste. Chicago fica nas margens do Lago Michigan, um dos Grandes Lagos que separam os Estados Unidos do Canadá (Lago Superior, Michigan, Huron, Erie e Ontário). Esses lagos foram interligados uns com os outros e com rios que chegam ao Oceano Atlântico, através de um complexo sistema de canais. Mais tarde Chicago foi também ligada ao Rio Mississipi, complementando o sistema hidroviário, que poderia ligar Nova York a Nova Orleans.

Vista panorâmica de Chicago e do Lago Michigan.

Vista panorâmica de Chicago e do Lago Michigan.

Os rios, canais e lagos serviram como uma excelente e barata malha de transporte em direção ao interior dos EUA. A circulação de produtos agrícolas e industriais fez com que a cidade de Chicago crescesse muito rapidamente. Além do transporte hidroviário, a cidade se tornou ponto de partida para algumas das principais rodovias e ferrovias americanas em direção à costa Oeste. Inclusive a icônica Rout 66 (A mãe de todas as estradas – assim definem os americanos).

Os rios e canais de navegação fizeram a força de Chicago.

Os rios e canais de navegação fizeram a força de Chicago.

Chicago recebeu o status de cidade em 1837, quando já possuía cerca de 4.000 habitantes, já era uma das principais cidades americanas em 1871, apenas 34 anos depois de fundada, quando aconteceu o Grande Incêndio, que a destruiu completamente. A cidade que era de madeira, pegou fogo por 36 horas seguidas e foi totalmente destruída.

"Sky Line" de Chicago.

“Sky Line” de Chicago.

Depois do incêndio, a história de Chicago mudou. As construções de madeira foram proibidas e isso estimulou os grandes projetos de arquitetura e engenharia, o marco maior da cidade. O primeiro arranha-céu surgiu em 1884, o Home Insurance Building, daí em diante a cidade não parou mais de inovar na arquitetura, a sua característica maior.

Os arranha-céus são uma das características mais fortes da cidade.

Os arranha-céus são uma das características mais fortes da cidade.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Estados Unidos da América e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s