Salar de Uyuni – Segundo dia de viagem – por Maíra Nery

No segundo dia do tour levantamos cedo e nos despedimos do Salar em direção às lagunas altiplânicas.  Não sem antes tirar umas últimas fotos do deserto de sal!

Salar de Uyuni.

Salar de Uyuni.

A primeira parada é na fronteira entre o deserto de sal e o deserto propriamente dito. Lá, fomos na Cueva Galáxia onde foram encontradas algas petrificadas o que, segundo o guia, é a prova geológica de que o deserto foi um grande lago salgado na pré-história.

Cueva Galáxia.

A caverna foi descoberta em 2003 e apenas uma pequena parte pode ser explorada. Ainda assim, vale a pena a rápida visita.

Algas petrificadas.

Ao sair da gruta, começamos a entrar na região desértica. Paramos próximo a um povoado bem pequeno para visitar a necrópole e o museu Kawasay Wasy.

Necrópole

Necrópole.

Para quem gosta de história e arqueologia a visita é muito interessante. A guia do local é excelente! A visita é cheia de detalhes. Na necrópole, os povos anteriores aos Incas utilizavam as formações de algas petrificadas como catacumbas.

Catacumbas

Catacumbas.

O sítio arqueológico é muito bem cuidado. As catacumbas são bem preservadas e é possível ver as “múmias” em quase todas elas.

Múmia

Múmia.

No final do tour, a guia nos explica que a cada ano chove menos na região. Os arbustos já são raros e que estudiosos acreditam que em pouco tempo toda a região se tornará um grande deserto.

Paisagem desértica.

Necrópole.

Apesar de o povoado ser bem pequeno e estar diminuindo a cada dia, em razão da seca que leva à migração para lugares com água mais farta, encontramos algo que, aparentemente, é possível encontrar até nos menores povoados desérticos: um bar!

Kachi Wasy bar.

Kachi Wasy bar.

Esse bar era super bonitinho, com móveis de sal por dentro e todo decorado tipicamente. Tivemos que fazer uma parada extra para registrar. Lá é possível encontrar diversos tipos de cervejas bolivianas. Compramos 3:  cerveja de mel, de coca e de quinoa e partimos para a próxima parada. Não pude provar, porque todas continham glúten, mas as meninas acharam todas bem gostosas, especialmente a de mel.

Interior do bar.

Interior do bar.

Depois da necrópole, fomos em direção a parada para o almoço.  A paisagem desértica pelo caminho é linda! Cheia de montanhas e vulcões de tirar o fôlego.

Vulcão.

Vulcão.

O almoço, dessa vez, não foi em restaurante. Foi literalmente no meio do nada. Um nada maravilhoso!

Vista do vulcão Ollague.

Vista do vulcão Ollague.

Paramos e Johny, nosso motorista, que também fazia vezes de cozinheiro, preparou nossa mesa com vista para o vulcão Ollague, próximo a fronteira da Bolívia com o deserto do Atacama no Chile. Cardápio: frango, arroz e salada. Não sei se foi a influência da paisagem, maso almoço estava delicioso! Johny, mais uma vez, arrasando!

Almoço ao ar livre.

Almoço ao ar livre.

Depois do almoço e de meia horinha para siesta, fomos em direção às lagunas altiplânicas. Estava super ansiosa, pois as fotos que havia visto eram lindas. E posso dizer: as fotos não fazem jus à beleza do lugar! Através delas dá para ter apenas uma pequena idéia.

Laguna altiplânica.

Laguna altiplânica.

Os flamingos deixam a paisagem ainda mais bonita! Ao todo, fomos à 4 lagunas. Cada uma com um colorido especial. Os vulcões ao fundo, os flamingos, os arbustos dourados e a água colorida no meio da paisagem desértica fazem das lagunas uma visão impressionante.

Flamingos.

Flamingos.

A segunda parada é na Laguna Branca. Tão linda quanto à primeira.

Laguna Branca.

Laguna Branca.

O segundo dia de viagem foi terminando e a temperatura caindo… hora de ir ao hotel. E ele surge quando você menos espera!

Hotel Tayka.

Hotel Tayka.

O hotel pertence a rede Tayka, a mesma do hotel de sal que ficamos no Salar de Uyuni. A diferença é que este hotel, ao invés de sal, era todo de pedra.

Restaurante do hotel.

Restaurante do hotel.

Depois de um banho quente, corremos para o restaurante para ver o por do sol. Mais um presente do deserto para encerrar o dia.

Por do sol.

Por do sol.

 

 

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Bolívia e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Salar de Uyuni – Segundo dia de viagem – por Maíra Nery

  1. Lucas disse:

    Maíra, qual o nome da empresa que você contratou para o passeio no Salar? este é pacote mais simples ou algum diferenciado?
    Irei final deste mês ao salar e necessito de indicações.

    Obrigado!

  2. Lindas as fotos! Fiquei com vontade de conhecer!

  3. Angela Antunes disse:

    Que beleza!!!Parabéns pelo trabalho.
    Dá vontade de ir lá imediatamente. Abraços.Angela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s