O GRANDE ARCO DE LA DÉFENSE E O PARC LA VILLETTE

05/01/1992

Saímos após o café da manhã, com Sebastião Nery e Cristina, em direção ao Grande Arco de La Défence, situado num bairro moderno (La Défense), completamente diferente de tudo que vimos em Paris até aqui. Prédios altos com fachadas de vidro, numa urbanização densa, em que as pistas, muitas vezes passam por debaixo dos prédios, produzindo uma atmosfera de angústia com um toque futurista. Não pudemos ver o Arco com calma, pois tivemos dificuldade de encontrar o local correto de acesso ao monumento.

O bairro de la Défense com o Grande Arco ao centro

O bairro de la Défense com o Grande Arco ao centro

O Arco é um cubo oco de mármore branco, aberto no centro, com 112 metros de altura, apoiado por 12 pilares com 30 metros de altura cada um, projeto do arquiteto dinamarquês Otto von Spreckelsen. Foi inaugurado em 1989 no governo de François Miterrand para a comemoração do bicentenário da Revolução Francesa.

Grande Arco de La Défense

Grande Arco de La Défense

Uma característica interessante sobre o Arco de La Défense é que a abertura central do arco está ligada em linha reta ao Arco do Triunfo e ao Arco do Triunfo do Carrossel, dois ícones de Paris.

Arco de La Défense em 1992

Arco de La Défense em 1992

Saímos do Arco de La Défense e fomos para o Parc La Vilette, um parque urbano implantado numa antiga área decadente da cidade. O Parque começou a ser construído em 1984. Hoje é um centro de estudos e pesquisas tecnológicas de Paris, reunindo o que existe de mais moderno na tecnologia francesa.

Planta do Parc la Villette

Planta do Parc la Villette

Ao entrarmos em La Vilette fomos visitar a “Geóide”, uma enorme esfera de aço polido, onde funciona um cinema de 180 graus, na época a maior tela de projeção do mundo. Assistimos a um filme sobre a formação do Grand Canyon. Os efeitos especiais eram fantásticos. Era como se estivéssemos fazendo parte do filme.

A Geóide de La Villette

A Geóide de La Villette

Depois de visitar a Geóide seguimos em direção ao Centro de Tecnologia onde visitamos : aquários, uma área destinada a som e imagem, o planetário e uma área destinada a uma representação da Antártida.

Parc la Villette

Parc la Villette

Saímos de La Vilette e fomos almoçar no Quartier de Ópera, no restaurante Hippopotamus, onde começamos a nossa despedida dos amigos e de Paris. Após o almoço (19h) fomos para o Hotel Europark, localizado do outro lado de Paris, na Port de Lilas.

Restaurante Hippopotamus do Quartier Ópera

Restaurante Hippopotamus do Quartier Ópera

Achamos o hotel com facilidade e ficamos surpresos com a boa qualidade do hotel e do ônibus, pois não estávamos esperando muito. Tomamos drinques para comemorar o final da nossa viagem a Paris e para nos despedir dos nossos anfitriões, Sebastião Nery e Cristina, que foram super receptivos com a nossa passagem por Paris nos últimos 12 dias.

Sebastião Nery e Cristina, os nossos anfitriões em Paris

Sebastião Nery e Cristina, os nossos anfitriões em Paris

No dia seguinte seguiremos para Londres.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em França e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s