Chegando em Pucón – por Maíra Nery

Não lembro ao certo como Pucón entrou como opção de viagem para o Ano Novo, mas acredito que foi buscando na internet por algo na América Latina que me encantasse como me encantou o Salar de Uyuni e o Lago Titicaca, na Bolívia. E não é que gostei dessa história de viagem de aventura? No quesito encantamento e diversão, Pucón não fica atrás! Que venha o Chile!

Vulcão Villarrica

Vulcão Villarrica

Pucón é uma cidade pequenininha ao sul do Chile, a 770 km de Santiago, voltada principalmente o turismo de aventura e ecológico.  Além da subida ao vulcão Villarrica, que é a principal atração do lugar, é possível fazer rafting, canyoning (um rapel em quedas d´água), trilhas, escaladas (para esse é preciso ter alguma experiência) e cavalgadas. Como ninguém é de ferro, há também diversas termas para relaxar.

Termas Geométricas

Termas Geométricas

É possível chegar à Pucón por ônibus ou por avião.  Optamos por ir de avião para ganharmos tempo já que a viagem de ônibus dura em torno de 10 horas. Chegamos a Santiago por volta de meia noite e na manhã seguinte já pegaríamos o voo para Pucón.  Existe um Holiday inn em frente ao aeroporto que facilita bastante para quem vai fazer passar só à noite. Como não nos atentamos para essa opção, dormimos na cidade e na manhã seguinte estávamos de volta ao aeroporto para iniciar nossa aventura.

Centro de Pucón, vulcão Villarrica no horizonte

Centro de Pucón, vulcão Villarrica no horizonte

Na realidade, o aeroporto para Pucón fica em Temuco, a 100 km da cidade. Dá para agendar uma van para Pucón no próprio aeroporto de Temuco, na chegada. Pagamos cerca de 11.000 pesos chilenos pelo transfer, o que fica em torno de 50 reais. A viagem dura em torno de 1h40min. Já no caminho é possível ver o vulcão Villarrica no horizonte. Esse transfer te deixa na porta do hotel. Há opção de pegar um táxi até a estação de ônibus em Temuco e ir para Pucón de ônibus, o que sai mais barato, em torno de 3.000 pesos ou 15 reais. É bom checar os horários de saída dos ônibus com antecedência.

Vista do vulcão Villarrica na estrada Temuco - Pucón

Vista do vulcão Villarrica na estrada Temuco – Pucón

Chegamos a Pucón por volta das 2 da tarde, deixamos a mala no hostel e fomos almoçar. Ficamos hospedadas no Donde German e ficamos encantadas com o local. Pra começar, a vista privilegiada da varanda do quarto contemplando o vulcão Villarrica. E depois, o quarto que era um encanto! Mas atenção: o Donde German tem 2 unidades.  Achei a unidade da pasaje las rosas mais aconchegante! E a vista… uau!

Vista do Hostel - vulcão Villarrica

Vista do Hostel – vulcão Villarrica

Depois de almoçar, já umas 6 da tarde, fomos à Summit, agência que nos levou na excursão ao cume do Villarrica. Ela pertence a uma canadense casada com um chileno que é um dos guias para a subida ao vulcão. Suzy, a dona da agência, é uma simpatia! A visita no dia anterior é importante pois é quando experimentamos todos os equipamentos que serão necessários para a subida: roupas, botas, mochilas, etc. Também recebemos instruções do que levar, o que comer. Também é quando checamos a provável condição do tempo.

Agência que nos levou até o cume do Villarrica

Agência que nos levou até o cume do Villarrica

É importante agendar a subida para o primeiro dia justamente em razão das condições climáticas. Ficamos 5 dias em Pucón e o dia que subimos foi o último dia de sol.  Depois veio uma frente fria e ninguém conseguiu subir por 3 dias. Outro detalhe importante são essas frentes frias no verão. Chegamos em Pucón com 24 graus e 2 dias depois fazia 4 graus! Mala complicada de ser feita. Mesmo no verão é importante ir preparado para um frio repentino.

Vulcão Villarrica ao entardecer

Vulcão Villarrica ao entardecer

Bom, depois de provar todos os equipamentos, fomos ao supermercado comprar os mantimentos para a subida ao vulcão. Para quem vai ficar em hostel, segue uma dica: há uma campanha em Pucón contra sacos plásticos, então leve sua ecobag ou mochila para o supermercado. Depois das compras, descansar, porque o dia seguinte ia começar cedo!

Vista do quarto - Hostel Donde German

Vista do quarto – Hostel Donde German

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Chile e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Chegando em Pucón – por Maíra Nery

  1. joaquimnery disse:

    Felipe,

    Este relato foi feito por Maíra Nery. Farei contato com ele e te respondo.

    Um abraço

  2. felipe disse:

    Ola,
    Você sabe o nome da empresa do transfer?
    Pucon-Temuco

  3. Juliana disse:

    Boa tarde

    Você sabe qual o nome da empresa que fez o seu transfer de Temuco a Pucon?

  4. flaviabraga disse:

    que quarto.. e que visto hein

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s