O MONT PELÉE NA ILHA DA MARTINICA

25 de fevereiro de 2015

Chegamos à Fort-de-France, a capital da Ilha da Martinica na manhã do dia 25 de fevereiro de 2015. A cidade é movimentada, com forte influência francesa e cores tropicais. Continua sendo um território ultramarino francês, juntamente com outras ilhas das Antilhas.

A cidade de Fort-de-France

A cidade de Fort-de-France

Pegamos uma excursão do navio direto para Saint Pierre, a primeira capital da Martinica. A estrada entre Fort-de-France e Saint Pierre serpenteia por uma região montanhosa e de densa vegetação exuberante e tropical.

O interior montanhoso da Ilha da Martinica.

O interior montanhoso da Ilha da Martinica.

No caminho passamos pela Église de Balata, construída nos moldes da Basílica de Sacré-Coeur em Montmatre, Paris. A igreja é um dos orgulhos da Martinica, mas não chega a impressionar.

A Église de Balata tenta imitar a de Montmartre de Paris.

A Église de Balata tenta imitar a de Montmartre de Paris.

Atravessamos as florestas da Martinica e chegamos a Saint Pierre, ao norte da ilha. Saint Pierre foi a primeira capital do país. Era um centro econômico importante e a principal cidade da Martinica, quando foi totalmente destruída pela violenta erupção do Vulcão Mont Pelée em 1902.

Sentinela avançada em Saint Pierre na Martinica.

Sentinela avançada em Saint Pierre na Martinica.

Seguimos direto para o Musée Vulcanologique que conta a história da erupção. Apesar dos claros sinais que o Mont Pelée estava dando sobre a iminente erupção que viria, os moradores da cidade decidiram apostar para ver e não evacuaram a área. Às 8h do dia 8 de maio de 1902 ele explodiu e lançou uma enorme quantidade de cinzas vulcânicas sobre Saint Pierre. Foi uma das maiores catástrofes vulcânicas da história da humanidade. Morreram todos os 30 mil habitantes da cidade. Ouve apenas um sobrevivente. Um preso que se encontrava numa cadeia subterrânea e foi resgatado depois por marinheiros franceses.

O temido vulcão Mont Pelée

O temido vulcão Mont Pelée

Seguimos adiante até uma fazenda na periferia de Saint Pierre onde visitamos a destilaria de rum DePaz, onde pudemos acompanhar os passos do processo produtivo dessa bebida que é a cara do Caribe.

Tonéis de Rum na Martinica.

Tonéis de Rum na Martinica.

Após a visita retornamos para Fort-de France, circulamos pela cidade onde descobrimos até uma Galeries Lafayette. Voltamos ao navio que saiu à noite com destino a Santa Lucia.

Vista panorâmica da baía de Saint Pierre como o Mont Pelée ao fundo.

Vista panorâmica da baía de Saint Pierre como o Mont Pelée ao fundo.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Antilhas, Martinica e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O MONT PELÉE NA ILHA DA MARTINICA

  1. Maria Helena Angeloni Schmitz disse:

    Es um viajante para lugares glamourosos. Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s