O RESTAURANTE CARNIVORE DE NAIROBI

13 de agosto de 2015

Começamos hoje a voltar para casa. Nos despedimos do Serena Lodge Hotel, da Tanzânia e da Cratera do Ngorongoro, às sete horas da manhã e pegamos a estrada de volta para Kilimanjaro. No início a estrada contorna a borda da Cratera. Fazia muito frio, a umidade era imensa e o denso nevoeiro não nos permitia ver 50 metros adiante.

A borda da Cratera do Ngorongoro está sempre coberta por uma neblina intensa.

A borda da Cratera do Ngorongoro está sempre coberta por uma neblina intensa.

Foram cinco horas de viagem entre o Ngorongoro e o Aeroporto Internacional de Kilimanjaro. No caminho da estrada, as paisagens e as situações que já tínhamos vivido antes. A rotina continuava na savana africana. Os Masai conduzindo os seus rebanhos para as pastagens, de vez em quando obstruíam a estrada.

Os Masai conduzindo os seus animais.

Os Masai conduzindo os seus animais.

Passamos por Arusha, onde o comércio frenético na beira do caminho chama a atenção e divide o espaço com as áreas agrícolas, onde destacam-se o milho, o café e a banana.

Os vilarejos nos arredores de Arusha.

Os vilarejos nos arredores de Arusha.

Chegamos ao Aeroporto Internacional de Kilimanjaro e pegamos um voo de uma hora de duração, da Safarilink, em um avião pequeno, até o Aeroporto Wilson, no centro da cidade de Nairobi. Mais uma vez sobrevoamos o Monte Kilimanjaro e é sempre bom de ver, mesmo que debaixo de intensa nebulosidade.

O Monte Kilimanjaro

O Monte Kilimanjaro

Chegamos a Nairobi e fomos direto para o Hotel Southern Sun Mayfair. Essa seria a terceira vez que estávamos passando por aí nessa viagem.

O Southern Sun Maifair de Nairobi

O Southern Sun Mayfair de Nairobi

À noite fomos jantar no icônico Restaurante Carnivore, um dos mais famosos de Nairobi. O restaurante é um programa para turistas, mas se somos turistas, vamos lá.

O Restaurante Carnivore

O Restaurante Carnivore

Possui uma boa ambientação, um bom serviço, mas a proposta é apresentar para os clientes, múltiplas opções de carnes africanas. No passado, o Carnivore, chegou a servir carnes exóticas, como camelo, antílopes, etc. Hoje, com as restrições proibitivas, a única carne exótica que existe é a de crocodilo. No mais: porco, boi, carneiro, frango e peru, compõe o cardápio de churrasco, que deixa a desejar, sobretudo para nós, brasileiros, que temos as melhores churrascarias do Mundo.

Amanhã vamos nos despedir do Quênia.

Amanhã vamos nos despedir do Quênia.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Quênia, Tanzânia e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s