CHEGANDO AO CHILE PARA CONHECER O DESERTO DO ATACAMA

26 de dezembro de 2015

Iniciamos essa viagem em dezembro de 2015, num roteiro elaborado pela Agência Via Alegria em parceria com a Operadora paulista TGK. O voo de São Paulo para Santiago saia às 8:30 horas. Como precisávamos estar 3 horas antes do voo para o check-in internacional e com as dificuldades de voos saindo de Salvador, decidimos viajar na véspera e dormir no Aeroporto de Guarulhos. Essa é uma alternativa. Não tão confortável, mas melhor do que passar a madrugada em claro no saguão do Aeroporto.

Chegamos a Guarulhos e fomos jantar no Rascal. Também uma boa pedida. Depois da reforma, Guarulhos está com uma infraestrutura de restaurantes muito boa. Além do Rascal, existem outras opções como a cadeia americana Red Lobster e a famosa hamburgueria Carl’s Junior.

Rascal de Guarulhos - do site http://www.leblog.com.br/2014/07/rascal-abre-unidade-no-aeroporto-internacional-de-sao-paulo-em-guarulhos/

Rascal de Guarulhos

Após o jantar seguimos para o Hotel Fast Sleep, dentro do Aeroporto. O hotel é simples, os apartamentos muito pequenos, com duas camas estilo beliche. Alguns têm banheiro interno e outros não. É apenas uma alternativa para descansar um pouco em Guarulhos e tomar um banho, antes de seguir viagem.

27 de dezembro de 2015

Às 8:40h pegamos um voo de 3h40min de São Paulo até Santiago. A travessia sobre a Cordilheira dos Andes é o primeiro momento de emoção. A Cordilheira domina toda a parte oeste América do Sul. Do extremo sul, na fronteira entre o Chile e a Argentina até o norte, no território da Venezuela. Passamos muito perto do Monte Aconcágua, o avião bordeja o pico, que é o ponto culminante das Américas e a maior montanha do Mundo, fora do Himalaia, com quase 7 mil metros de altitude.

A emocionante travessia da Cordilheira dos Andes.

A emocionante travessia da Cordilheira dos Andes.

Santiago fica ao lado da Cordilheira. Fizemos uma conexão de três horas em Santiago e seguimos por mais 2 horas de voo até Calama, no coração do Deserto do Atacama, onde pegamos um “transfer” de mais uma hora e meia até San Pedro do Atacama, que é o centro de todas as aventuras do lugar.

O moderno Aeroporto de Calama.

O moderno Aeroporto de Calama.

A Cordilheira dos Andes espreme o Chile contra a costa do Pacífico. O país é extenso e estreito. Possui 4.190 quilômetros desde Arica no estremo norte, até Punta Arenas no estremo sul do país. De leste a oeste o país possui em média 175 quilômetros de largura, sendo que no seu ponto mais estreito, possui apenas 90 quilômetros.

O chile espremido pela Cordilheira dos Andes.

O chile espremido pela Cordilheira dos Andes.

A extensão territorial dá ao Chile uma variedade climática grande. Desde os desertos bastante secos do norte até as regiões subpolares do sul. De leste a oeste a paisagem também varia muito, pois em poucos quilômetros o Chile vai do nível do mar até as altitudes de montanha dos Andes. Essa variação é visível na sua geografia dramática.

Paisagens de contrastes no Chile.

Paisagens de contrastes no Chile.

O país é voltado para o mar e com ele possui uma relação muito forte. Possui mais de 6 mil quilômetros de litoral. Os grandes cardumes da corrente marítima fria de Humboldt, que acompanha toda a costa chilena, faz com que ele seja um dos maiores países pesqueiros do Mundo.

A Corrente de Humboldt

A Corrente de Humboldt

O país está dividido em diversas regiões: No extremo sul a patagônia com as suas paisagens de montanhas e fiords. Um pouco ao norte a região dos lagos, onde destaca-se a travessia dos lagos andinos de Port Mont até Bariloche na Argentina. Depois aparecem as regiões centrais até chegar ao Deserto doAtacama.

Um país de paisagens estonteantes.

Um país de paisagens estonteantes.

O Atacama fica no estremo norte. Foi para lá que seguimos. Essa região sempre foi motivo de disputa com os vizinhos Peru e Bolívia. Esse é um problema ainda não totalmente resolvido, pois foi a vitória do Chile na Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1883, que lhe deu esse território, riquíssimo em minérios, sobretudo o sal e o cobre, uma das maiores riquezas do país. Além disso a vitória do Chile tirou da Bolívia o acesso ao mar e ao precioso porto de Antofogasta. A Bolívia e o Peru até hoje não aceitam essas perdas.

Paisagem típica do Deserto do Atacama.

Paisagem típica do Deserto do Atacama.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Chile e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para CHEGANDO AO CHILE PARA CONHECER O DESERTO DO ATACAMA

  1. joaquimnery disse:

    Olá Eliane,

    fazer o blog é uma forma de continuar a viagem. Dê um abraço em Jorge.

  2. Eliane Genofre disse:

    Adorei, Joaquim, A gente viaja com o jeito que você escreve. Pra quem já esteve lá, então, é como voltar ao local e ver tudo de novo. Ótimas fotos…nem precisava falar isso pra um expert como você, né?
    Parabéns.
    Eliane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s