UM VOO DE HELICÓPTERO SOBRE NOVA YORK

26 de março de 2016

Na região do Financial District, em Lower Manhattan, fica o heliporto do píer 6, de onde partem os helicópteros para passeios turísticos sobre Nova York. decidimos fazer um sobrevoo por Manhattan. Uma experiência magnífica. O dia estava favorável. Céu azul e nenhuma nuvem para atrapalhar.

O heliporto do píer 6.

O heliporto do píer 6.

Existem duas alternativas de passeio. Um mais barato, com duração de 15 minutos e outro, mais extenso e mais caro, com uma duração de 25 minutos. Ambos seguem pela mesma trajetória, através de um corredor de voo sobre o Rio Hudson. O mais curto vai até o Central Park e retorna. O mais longo vai até o final da Ilha de Manhattan.

Os mapas dos passeios de helicóptero.

Os mapas dos passeios de helicóptero.

Logo no início o voo nos brinda com duas das suas maiores atrações. A primeira é ficar cara a cara com a Estátua da Liberdade. O helicóptero passa muito perto e dá para ver detalhes da coroa. Dei sorte, fui na frente, ao lado do piloto, onde as possibilidades para fotos são melhores. O piloto era americano, mas falava português pois era casado com uma brasileira. Ficou feliz em me ter como passageiro e deu dicas importantes.

Cara a cara com a Estátua da Liberdade.

Cara a cara com a Estátua da Liberdade.

A outra atração da saída é a vista espetacular do “skyline” de Nova York. A linha do horizonte da cidade espetada por arranha-céus gigantes, onde o colossal One World Trade Center se destaca.

O "skyline" de Nova York.

O “skyline” de Nova York.

Lá de cima o bom é tentar identificar as principais atrações da cidade. Muitas delas correspondem aos arranha-céus mais famosos: o Empire State Building, o Chrysler Building, Rockfeller Center, Central Park, etc.

O Empire State Building.

O Empire State Building.

Após o passeio de helicóptero voltamos para o coração do Financial District, passamos pela Igreja da Trindade (Trinity Church), no final da Wall Street, que evidencia os contrastes de Lower Manhattan. A igreja é do século XVIII e fica espremida entre os altos edifícios do Financial District. Seguimos adiante até o Memorial ao 11 de setembro.

A Igreja da Trindade, espremida ao final da Wall Street.

A Igreja da Trindade, espremida ao final da Wall Street.

Durante 27 anos, as “Torres Gêmeas”, que compunham o World Trade Center, foram o maior símbolo do “skyline” de Nova York. As torres foram destruídas por um ataque terrorista em 11 de setembro de 2001. Ao lado da praça onde ficavam, existe hoje um museu com mostras de estruturas que foram resgatadas dos destroços das torres, fotos e lembranças da tragédia.

Viga retorcida retirada dos escombros do World Trade Center.

Viga retorcida retirada dos escombros do World Trade Center.

No local onde ficava o World Trade Center, hoje existe um Memorial aos mortos e à tragédia. Duas enormes “piscinas” quadradas, de granito preto, com as mesmas dimensões dos prédios, sugam a água que cai como cachoeiras, das bordas, produzindo uma sensação inevitável de angústia e simbolizando a perda das vidas. O projeto é do arquiteto israelense-americano Michael Arad e da companhia de arquitetura Peter Walker and Partners.

Uma das "piscinas" que fazem parte do Memorial aos mortos do 11 de setembro.

Uma das “piscinas” que fazem parte do Memorial aos mortos do 11 de setembro.

Na borda das “piscinas” aparecem placas de bronze com os nomes das 2.977 pessoas que morreram no atentado terrorista de 11 de setembro e das 6 outras que morreram num outro atentado a bomba de 1993, que também aconteceu nas Torres Gêmeas.

Os nomes dos mortos estão gravados na borda das "piscinas".

Os nomes dos mortos estão gravados na borda das “piscinas”.

Uma gigantesca torre foi construída ao lado das “piscinas”, em substituição às duas outras que tinham sido destruídas. O One World Trade é conhecido como WTC 1, foi inaugurado em 2014 e se tornou o mais alto edifício dos EUA, com 104 andares e 541 metros e terceiro mais alto do Mundo na data da sua inauguração. É o principal prédio do novo complexo do World Trade Center que contará com mais três grandes torres.

O One World Trade Center.

O One World Trade Center.

Subimos na torre e fomos até o One World Observatory, um mirante no 100º andar, de onde se tem uma vista maravilhosa de Manhattan, com 360º. O One World Trade possui também uma série de outros atrativos e entretenimentos interativos.

A vista do alto do One World Observatory é espetacular.

A vista do alto do One World Observatory é espetacular.

Após a visita ao One World Trade Center, seguimos de metrô até a região do Soho. O nome identifica a área a sul da Houston Street (South of Houston), um dos bairros mais charmosos de Nova York. O Soho já foi uma área industrial até a década de 1960, quando a arquitetura histórica de ferro fundido atraiu investimentos e novos moradores para o lugar. O bairro foi ocupado por artistas, galerias de arte, cafés, lojas e boutiques. Chegamos ao Balthazar, um restaurante de cozinha francesa, bastante animado, que é a cara do Soho.

A arquitetura do Soho é especial.

A arquitetura do Soho é especial.

A Liberty Island vista a partir do helicóptero.

A Liberty Island vista a partir do helicóptero.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Estados Unidos da América e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para UM VOO DE HELICÓPTERO SOBRE NOVA YORK

  1. Anônimo disse:

    Parabens joaquim…PARABENS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s