A CATEDRAL DO CRISTO SALVADOR, AS SETE IRMÃS DE STALIN E OS JARDINS DE ALEXANDRE

23/06/2016

A Catedral do Cristo Salvador é o mais importante templo de Moscou. A original foi dinamitada por ordem de Stalin, em 1931, apesar de toda a sua importância religiosa e histórica. Após o fim do regime comunista a igreja foi reconstruída por Yúri Lujkov, prefeito de Moscou, durante a gestão de Boris Yeltsin, entre 1994 e 1997.

A Catedral do Cristo Salvador

A Catedral do Cristo Salvador

A Catedral original é do século XIX e foi construída em homenagem aos mortos na luta pela libertação de Moscou das tropas de Napoleão. Já foi a construção mais alta de Moscou, com a sua cúpula principal erguendo-se a 103 metros. Podia receber mais de 10 mil pessoas.

Já foi a construção mais alta de Moscou

Já foi a construção mais alta de Moscou

Stalin pretendia construir no lugar da Catedral demolida, um gigantesco monumento, com 315 metros de altura, em homenagem a Lenin, o Palácio dos Sovietes, mas morreu antes de iniciar a obra, e os seus sucessores não deram continuidade aos seus delírios. Existe hoje um esboço gráfico do que deveria ser o gigantesco monumento em homenagem a Lenin. No alto do monumento haveria uma estátua de Lenin, com 100 metros de altura. Com o fim da União Soviética, o projeto foi abandonado e a Catedral reconstruída.

Detalhe da fachada da Catedral que foi dinamitada por Stalin

Detalhe da fachada da Catedral que foi dinamitada por Stalin

A Catedral do Cristo Salvador é um templo da Igreja Ortodoxa Russa, com uma decoração interna exuberante, formada por ícones dourados e bastante coloridos, uma das características das igrejas ortodoxas da Rússia. Possui cinco cúpulas douradas e uma fachada imponente com magníficas esculturas.

A porta principal da Catedral do Cristo Salvador.

A porta principal da Catedral do Cristo Salvador.

Da Catedral seguimos o tour pelas largas avenidas de Moscou. Muitas dessas avenidas foram abertas pelos Planos Quiquenais de Stalin para a URSS. Essa Moscou moderna foi uma criação de Stalin, que destruiu igrejas e outros edifícios históricos para a abertura das avenidas.

Largas avenidas e a área mais moderna de Moscou ao fundo.

Largas avenidas e a área mais moderna de Moscou ao fundo.

Seguimos até o Morro dos Pardais (Varabyôve Gory), a 5 quilômetros do centro de Moscou, de onde se tem uma vista maravilhosa da cidade. No alto do morro existe um mirante e o panorama de Moscou fica ao fundo.

A vista espetacular do Morro dos Pardais

A vista espetacular do Morro dos Pardais

Daí também pode-se ver de perto o prédio da Universidade Estatal de Moscou (MGU). Um arranha-céu imponente, encomendado por Stalin e concluído em 1953. O prédio da Universidade possui 36 andares, 240 metros de altura e é um dos conjuntos conhecidos como “As Sete Irmãs de Stalin”, ou “Bolos de Casamento”. Os prédios estão distribuídos pelo espaço urbano de Moscou, como se fossem vértices de uma estrela de sete pontas.

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Os moscovitas não usam essas expressões para as torres. Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético, com influência neo-gótica, entre 1947 e 1953 para comemorar o poderio da União Soviética sobre o capitalismo ocidental, em tempos de Guerra Fria.

Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético

Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético

Ao lado do mirante fica a pequena igreja da Trindade, de 1811, com a sua cúpula verde.

A pequena igreja da Trindade

A pequena igreja da Trindade

Outro local de visitação especial em Moscou, são os Jardins de Alexandre, projetados pelo arquiteto Ossip Bove em1821. Os belíssimos jardins, com mosaicos de flores coloridas, foram mandados construir por Alexandre I, que providenciou a restauração da cidade de Moscou e do Kremlin, após a expulsão das tropas de Napoleão da cidade.

Detalhes dos Jardins de Alexandre.

Detalhes dos Jardins de Alexandre.

Várias fontes e esculturas, com temas diversos e alguns infantis, enfeitam os Jardins de Alexandre.

Esculturas e fontes enfeitam os jardins.

Esculturas e fontes enfeitam os jardins.

O rio Neglínaya, que formava o fosso de proteção do Kremlin, foi canalizado por baixo da terra.

O rio foi canalizado e virou fonte.

O rio foi canalizado e virou fonte.

Outra atração dos Jardins de Alexandre é o Túmulo do Soldado Desconhecido, inaugurado em 1967, que homenageia um soldado anônimo da Segunda Guerra Mundial.

O Túmulo do Soldado Desconhecido

O Túmulo do Soldado Desconhecido

Ao lado dos jardins de Alexandre, numa área do subsolo, sob uma grande praça, fica o Shopping Manêjnaya Ploschad, com centenas de lojas de grifes e comércio em geral.

O Shopping Manêjnaya Ploschad

O Shopping Manêjnaya Ploschad

Os Jardins de Alexandre

Os Jardins de Alexandre

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Rússia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s