PREIKESTÓLEN, A PEDRA DO PÚLPITO

10/07/2016

Estávamos em Stavanger, na Noruega. Uma cidade de 130 mil habitantes. É a terceira maior do país. Fica na porção sul e aparece nos roteiros turísticos por ser o ponto de partida para algumas das principais trilhas em busca das atrações naturais mais radicais, como as grandes pedras: Preikestólen (Pedra do Púlpito) e Kejerag (Pedra da Fenda).

Vista do cais de Stavanger.

Vista do cais de Stavanger.

O nosso principal objetivo em Stavanger era conhecer a Preikestólen, a Pedra do Púlpito. Foi isso que fizemos logo pela manhã. Pegamos todas as informações necessárias e saímos para acessar a trilha que leva ao alto da pedra. Tínhamos alugado um carro e portanto nos viramos sozinhos.

A estrada para a Pedra do Púlpito.

A estrada para a Pedra do Púlpito.

Rodamos 40 km até a localidade de Lauvik, na beira do Fiorde de Lyse, onde fica a Preikestólen. Em Lauvik pegamos um Ferry-boat para atravessar o fiorde. Do outro lado seguimos até um camping na base da trilha para a Pedra do Púlpito. São mais 20 quilômetros até começar a subida de quatro quilômetros para o alto da pedra.

Atravessamos o Fiorde de Lyse

Atravessamos o Fiorde de Lyse

Estava chovendo muito e a trilha foi bastante difícil. É muito bem sinalizada e construída para facilitar a vida dos visitantes, não existe necessidade de guia. Boa parte da trilha é de pedras que foram postas aí para fazer o caminho. Na subida porém, existem desníveis íngremes e como estava chovendo bastante, ela ficou ainda mais puxada.

A trilha para a Pedra do Púlpito.

A trilha para a Pedra do Púlpito.

Apesar das dificuldades, havia uma multidão subindo e descendo a trilha. Famílias inteiras. Crianças, bebês de colo e até cachorros, muitos cachorros, fazem a trilha com os seus donos.

A paisagem ao longo da trilha é encantadora.

A paisagem ao longo da trilha é encantadora.

Existem dois grandes desníveis e uma terceira subida bem extensa. Quando chegamos lá em cima, tudo vale a pena, pois a visão da Pedra do Púlpito é magnífica. Não pegamos aquele céu azul das fotos de propaganda da Noruega, mas vencer o desafio é um momento de êxtase.

A trilha é muito bem sinalizada.

A trilha é muito bem sinalizada.

Sempre achei que ao chegar na Pedra do Púlpito, não teria coragem de me aproximar da borda, mas acho que a “adrenalina” da subida com dificuldades superou o medo. Fiz aquela foto clássica na borda do precipício, que despenca de uma altitude de 604 metros, em queda livre e vertical, até o Fiorde de Lyse.

Cheguei na ponta da Pedra.

Cheguei na ponta da Pedra.

Ficamos 40 minutos lá em cima e começamos a descer. Foram mais duas horas de descida, quatro horas e meia no total, entre a subida, a contemplação e a descida.

A descida foi mais difícil que a subida.

A descida foi mais difícil que a subida.

A descida é ainda mais difícil. Estava chovendo bastante, as pedras estavam escorregadias, a trilha ficara perigosa, frequentemente algumas pessoas escorregavam e caiam. Havia sério risco de acidentes. Em alguns trechos a trilha tinha se transformado em corredeiras e pequenas cachoeiras. A sensação era de que poderíamos ficar isolados no alto da Preikestólen. O desnível das pedras machucava os joelhos e as articulações. Conseguimos vencer o desafio, mas chegamos destruídos na base da trilha.

A trilha para a Prekestolen.

A trilha para a Preikestólen.

Almoçamos no camping que existe por aí e voltamos para Stavanger, mais uma hora e meia de viagem. Não conseguimos fazer mais nada. Fomos descansar para o dia seguinte. A subida à Preikestólen e a contemplação lá de cima é uma das grandes aventuras do Planeta Terra.

Preikestólen, a Pedra do Púlpito.

Preikestólen, a Pedra do Púlpito.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Noruega e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para PREIKESTÓLEN, A PEDRA DO PÚLPITO

  1. joaquimnery disse:

    Obrigado Fernanda, continue acompanhando. Um abraço.

  2. Fernanda disse:

    Adoro seu livro e seus textos! Assim conhecemos mais sobre os cantos do mundo!

  3. mariel disse:

    Minha nossa, que pedaço mais incrível do mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s