A IGREJA DE MATIAS E O BASTIÃO DOS PESCADORES DE BUDAPESTE

05 de maio de 2017

Seguimos caminhando pelo Bairro do Castelo e fomos até a Igreja de Matias. Na frente da igreja fica a Praça da Santíssima Trindade, a mais animada do Bairro do Castelo e centro da cidade medieval. No centro da praça, o monumento barroco da Santíssima Trindade, erguida em 1714, que dá nome ao local, é um memorial às vítimas da epidemia de peste de 1691.

O monumento à Santíssima Trindade.

A Igreja de Matias é a mais importante do Bairro do Castelo e uma das principais de Budapeste. Na realidade ela é em homenagem à Nossa Senhora, mas conhecida popularmente como Igreja de Matias, numa referência ao Rei Matias, coroado aí em 1458.

A Igreja de Matias

A construção original data do século XIII. Sofreu inúmeras modificações ao longo dos séculos. No século XVI, durante a ocupação turca na Hungria, foi utilizada como mesquita e passou a se chamar de Mesquita Maior. Com a expulsão dos turcos voltou ao seu papel de igreja católica. A última grande reforma se deu no final do século XIX, quando ela assumiu o formato neogótico atual.

O interior da Igreja de Matias.

Em frente à Igreja de Matias fica a Estátua do Rei Estevão I, o primeiro rei dos Húngaros.

A Estátua do Rei Estevão I

O Bastião dos Pescadores ou Halászbástya, em húngaro, fica em frente. É um dos lugares mais lindos de Budapeste. Foi construído de 1895 a 1902, em homenagem às sete tribos magyares que fundaram a Hungria, cada tribo é representada por uma das torres do Bastião.

O Bastião dos Pescadores.

No local do Bastião, funcionou na Idade Média, um mercado de peixes, o que deu nome aos terraços. Foi construído como um elemento de defesa para o Bairro do Castelo, mas nunca funcionou como tal. Foi transformado num grande mirante, com terraços maravilhosos, de onde se tem as melhores vistas de Peste e do Rio Danúbio. À noite, a iluminação dá ao Bastião dos Pescadores uma imagem especial da cidade de Budapeste.

A vista do Bastião dos Pescadores é maravilhosa.

Não descemos a pé, o que teria sido mais agradável, porque estava chovendo em Budapeste. Pegamos o teleférico de volta e seguimos andando pela cidade até encontrar o excelente restaurante Baraka, recomendado pelo App Trip Advisor. O restaurante é comandado hoje por um chef brasileiro, o André, que está concorrendo à sua primeira estrela Michelin.

Restaurante Baraka.

Voltamos andando para o nosso hotel, nas imediações da Avenida Andrassy. Decidimos subir na Budapeste Eye, uma Roda Gigante, de onde temos uma vista maravilhosa de Budapeste à noite. Foi uma excelente maneira de nos despedirmos dessa cidade encantadora.

Budapeste Eye.

Vista noturna da Catedral de Santo Estevão

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Hungria e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s