GROUSE MOUNTAIN, TRILHA E ESQUI DENTRO DE VANCOUVER

29 de agosto de 2017

No segundo dia em Vancouver, seguimos a pé até o Canada Place, um edifício criado para sediar a Feira Mundial de 1986 e que se tornou um marco para a cidade, um grande complexo formado por Centro de Convenções, hotel e lojas. Fica ao lado do porto e é daí que saem muitos dos ferry-boats para as ilhas próximas à costa do Canadá.

Canadá Place

É de lá que saem também, os shuttle bus até a Grouse Mountain, localizada em North Vancouver, a 15 minutos de carro do centro de Vancouver, e que é uma das principais atrações de lazer para visitantes e locais. No verão a Grouse Mountain é um grande parque para trilhas e contemplação da natureza ao ar livre.

A Grouse Mountain

Quem quer trilhas leves, sobe a montanha numa gôndola que leva ao topo e lá de cima, faz as pequenas trilhas. A gôndola vai até um primeiro estágio no alto da montanhas, de onde se tem belas vistas de Vancouver, mas existe a opção de seguir adiante em lifts de esqui, que levam até o topo da montanha.

A Grouse Mountain

No inverno, toda a montanha se transforma numa estação de esqui urbana e os cidadãos de Vancouver se divertem.

A Grouse Mountain

Lá no alto da Grouse Mountain existem várias atrações, shows e espetáculos pitorescos com lenhadores e aves. O local é ambientado por grandes esculturas feitas em restos de troncos de árvores que foram derrubadas no passado.

Esculturas feitas em troncos de árvores

Existem também um mini-zoológico com animais canadenses. A grande atração fica para os enormes ursos-pardo, que ficam confinados em pequenos espaços. Não tem a mesma emoção de vê-los soltos na natureza, como fizemos no Alasca.

O enorme urso-pardo da Grouse Mountain

Uma outra opção é subir ao Eye of The Wind, um cata-vento gigantesco que tem um mirante no topo, com uma excelente vista do complexo.

O mirante do Eye of The Wind

Descemos da Grouse Mountain e voltamos até o Canadá Place, onde fomos a uma atração espetacular do lugar. O Fly Over Canadá, um simulador de voo que passa pelas principais paisagens, atrativos turísticos, parques nacionais e encantos do país. O brinquedo é de excelente qualidade e vale muito a pena.

O Fly Over Canadá

Seguimos andando até o pitoresco bairro de Gastown, onde fica a Robson Street. É o melhor lugar para conhecer um pouco da recente história de Vancouver. Foi aí que a cidade começou a se erguer, no final do século XIX, com um pequeno assentamento de apoio aos poucos barcos que passavam pela costa e faziam a ligação entre a Califórnia e o Alasca. A rua possui hoje, muitas lojas e restaurantes interessantes.

A Robson Street

No meio da Robson Street, na esquina entre as ruas Water e Cambie aparece o Steam Clock, um relógio a vapor construído em 1977, que faz performances com apitos, sons e movimentos a cada 15 minutos É uma das atrações do bairro de Gastown.

A Steam Clock

No final da Robson Street chegamos ao monumento em homenagem a Gassy Jack, o responsável pelo primeiro núcleo urbano de Vancouver, pois montou uma taverna que entretinha os marinheiros e trabalhadores das serrarias, em 1867. Ao redor da taverna surgiu a Gastown, que deu origem a Vancouver.

O monumento em homenagem a Gassy Jack

À noite fomos jantar no excelente restaurante italiano, Italian Kitchen, muito próximo do nosso hotel.

O Steam Clock

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Canadá e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s