CHEGANDO AO PATAGONIA CAMP, NO PARQUE NACIONAL TORRES DEL PAINE

07 de março de 2018

Estávamos em Punta Arenas aguardando um transfer para o Parque Nacional Torres del Paine, como ainda tínhamos um tempinho, decidimos dar um giro pela cidade. Punta Arenas é a capital da região de Magalhães no extremo sul do Chile, na região da Patagônia Chilena. É daí que saem os cruzeiros para a Terra do Fogo e Antártida.

Punta Arenas

O Hotel Cabo de Hornos, onde estávamos hospedados, ficava na Plaza Muñoz Gamero, o centro e local de maior referência da cidade. No meio da praça existe um monumento em homenagem ao navegador português Fernão de Magalhães, que descobriu a região no século XVI e foi o primeiro a atravessar o Estreito que tem o seu nome e fica em frente a Punta Arenas.

Monumento em homenagem a Fernão de Magalhães

Existe o hábito dos turistas beijarem o dedo do pé da estátua de um índio que enfeita o monumento para ter boa sorte ou para voltar um dia a Punta Arenas.

Beijando o pé do índio para voltar à Patagônia.

O Estreito de Magalhães é uma passagem navegável de aproximadamente 600 km, no extremo sul do Chile. Separa o continente da Ilha da Terra do Fogo. É a maior, mais segura e importante passagem entre os oceanos Atlântico e Pacífico. Fizemos algumas fotos num antigo píer no Estreito de Magalhães e voltamos para o hotel, onde pegamos um transfer privativo com um bom carro e excelente motorista, para o Parque Nacional Torres Del Paine.

O Estreito de Magalhães

A Estrada do Fim do Mundo liga os 240 km entre Punta Arena a Puerto Natales. No caminho a paisagem possui uma predominância de pastagens onduladas com grandes fazendas de carneiros.

A Estrada do Fim do Mundo

O show da estrada ficou por conta de um bando de condores, as aves símbolo da Cordilheira dos Andes. O condor é uma ave de rapina gigante, a sua envergadura pode chegar a 3 metros de ponta a ponta. Se alimenta de carniças. Quando aparecem em bando é sinal de bicho morto na beira da estrada. Está seriamente ameaçada de extinção, mas é comum nessas áreas inóspitas do sul do Chile.

Encontramos o condor.

De Punta Arenas a Puerto Natales foram 3 horas de viagem. Puerto Natales já fica bem próximo à entrada do Parque Nacional. Possui uma excelente infraestrutura para o turismo, com muitos hotéis e pousadas de diferentes qualidades. Existem muitos passeios que visitam o Parque a partir daí.

Puertos Natales

Paramos para fazer um lanche na praça central e seguimos em direção ao Patagonia Camp, que fica pouco antes da entrada do Parque Nacional Torres del Paine. De Puerto Natales ao Patagonia Camp são 70 km que fizemos em 1,5 horas. No caminho a paisagem do Parque Nacional já nos impressiona bastante, mas o ponto alto dessa tarde é a visão da chegada ao lodge.

Chegando ao Patagônia Camp

O Patagonia Camp fica nas margens do Lago Toro, um dos maiores do Parque Nacional. O acampamento de luxo tem os apartamentos em forma de Yurts, as tendas dos nômades da Mongólia, com muito conforto, banheiro privativo, aquecedor e lindamente decorados com elementos da Patagônia Chilena. A vista a partir dos Yurts do hotel é deslumbrante e a oportunidade de conviver com a natureza da Patagônia faz dessa hospedagem uma experiência única no mundo.

Os Yurts

O conforto dos Yurts

O atendimento desse Camping Boutique é excepcional. Ele foi projetado para gerar o menor impacto possível ao meio ambiente. Até mesmo a água que sai das torneiras é potável e a estação de tratamento aproveita as águas do lago, com um processo de filtragem ecológica e natural.

O salão principal do lodge.

Quando chegamos no hotel e depois de colocar as malas no nosso Yurt, seguimos para um ponto de encontro onde o hotel faz uma apresentação detalhada sobre o Parque Nacional Torres del Paine e todas as opções de excursões que existem. A palestra é agradável e detalhada, com ênfase nas informações sobre o tempo, algo que é fundamental na Patagônia.

O atendimento do lodge é excepcional.

No salão ao lado da exposição, os hóspedes que já estavam aí ou que tinham chegado um pouco antes, já começavam a degustar um saboroso Cordeiro de Magalhães servido por um bom vinho Corralillo, da Vinícola Matetic. Os donos do hotel.

O Cordeiro de Magalhães

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Chile e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para CHEGANDO AO PATAGONIA CAMP, NO PARQUE NACIONAL TORRES DEL PAINE

  1. ROMANO ZAVALLONI disse:

    ÓTIMA REPORTAGEM SOBRE A AMÉRICA DO SUL, E GRATO PELO ENVIO.

  2. ROMANO ZAVALLONI disse:

    Grato por apresentar suas viagens. Esta da América do Sul, gostei muito, é outro mundo. ÓTIMO.
    Caso tenha algo sobre a NORMANDIA-FRANÇA, dia “D”, Desembarque, Museus, etc. e puder me
    enviar, muito agradeceria. Estou indo para lá no Próximo dia 16.5.2018 , saindo da ITÁLIA, VAMOS
    DE TREM ATÉ PARIS, depois de trem até CAEN. e então iniciar o turismo: Cemitérios Militares.
    Pretendo alugar um carro em Paris ou CAEN e fazer todo o percurso, que é mais rápido.
    Vamos visitar MONTE DE SAINT MICHAEL.
    Se for possível atender-me sem querer ser chato. Agradeço..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s