OS PRIMEIROS CONTATOS COM OS POVOS E A HISTÓRIA DO DESERTO DO SAARA

07 de abril de 2018

Estávamos em Erfoud, no sul do Marrocos, mas o nosso destino era o Deserto do Saara na região de Merzuga. Deixamos parte das nossas malas no hotel e seguimos pela manhã em direção a Rissani onde o Rio Ziz começa a desaparecer sob as areias do deserto. Pelo caminho, as tamareiras nos lembram que a água está logo ali no subsolo. Toda a região é uma continuação dos oásis que acompanham o Vale do Ziz.

As tamareiras estão por todos os lados em Erfoud

Rissani fica no local onde no passado existiu a importante cidade de Sijilmassa, o maior centro de comércio do norte do Saara a partir do século VIII quando era um local de concentração de mercadores transsaarianos, que negociavam ouro e escravos.

A cidade de Rissani

De Sijilmassa saiam caravanas com até 20 mil camelos em busca das minas de sal ao sul do deserto, no atual Mali. Daí seguiam até a Nigéria e Gana, onde 400g de sal eram trocadas por 30g de ouro africano. No século XII, o ouro do Sudão refinado em Sijilmassa chegou à Europa e a região se tornou ainda mais importante. Disputas internas destruíram a cidade no século XIV. Sijilmassa foi reconstruída pelo sultão Alauíta Moulay Ismail no século XVIII e destruída definitivamente em 1818. Hoje existem apenas algumas ruínas do que foi a cidade.

Artesanato em Rissani

Aí em Rissani fica o santuário e Mausoléu de Moulay Ali Cherif, o líder político que fundou a dinastia Alauíta que reina no Marrocos desde o século XVII até os dias atuais. A dinastia Alauíta é quem reina no país, desde 1666. O atual Rei do Marrocos é Mohammed VI, o 18º rei da dinastia Alauíta, filho e herdeiro de Hassan II, que reconquistou o Marrocos do Protetorado Francês e faleceu em 1999. Uma visita ao Mausoléu é obrigatória.

Visitando o Mausoléu de Moulay Ali Cherif

Saímos do Mausoléu e seguimos até o Museu de Fósseis e Minerais de Tahiri. Uma fábrica de fósseis nos arredores de Erfoud. Esses fósseis são explorados na região do Médio Atlas e se constituem numa atividade econômica importante para a região.

O Museu de Fósseis e Minerais de Tahiri

Voltamos para o hotel Xaluca, pegamos as malas e seguimos em carro 4X4 até Merzouga onde teríamos o primeiro contato com as grandes dunas de Erg Chebbi, no Deserto do Saara. Antes de chegar a Erg Chebbi paramos em um mirante nos arredores para admirar a beleza do conjunto dourado das dunas.

A primeira visão das dunas de Erg Chebbi

Seguimos direto para o acampamento do grupo Xaluca, o mesmo grupo do hotel em que estávamos hospedados em Erfoud, em cabanas berberes, para uma experiência única que é dormir uma noite no deserto.

Chegando ao acampamento do grupo Xaluca.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Marrocos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para OS PRIMEIROS CONTATOS COM OS POVOS E A HISTÓRIA DO DESERTO DO SAARA

  1. Anônimo disse:

    Gratíssima pelo envio.
    Cumprimentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s