CHEGANDO A ZAGORA, NA BORDA DO DESERTO DO SAARA

09 de abril de 2018

A pequena vila de M’Hamid no sul do Marrocos ficou isolada por muito tempo, em função do clima de tensão com a Argélia e dos conflitos com a Frente Polisário. Hoje em dia, após a construção da estrada que leva à base das dunas, o local passou a ser descoberto pelo turismo e dezenas de hotéis e restaurantes foram implantados por aí. Serviços turísticos também estão disponibilizados.

A pequena vila de M’Hamid, na borda do Deserto do Saara.

As dunas de Erg Lihoudi ficam logo ali ao lado de M’Hamid, a apenas 8 km da vila. Seguimos para o Hotel Kasbah, onde paramos para almoço.

As dunas de Erg Lihoudi

Após o almoço fomos até a entrada do vilarejo e fizemos um passeio de quadriciclo pelas dunas do Erg Lihoudi, as mais acessíveis da região.

Um passeio de quadriciclo pelas dunas de Erg Lihoudi

As dunas do Erg Lihoudi surgem como uma alternativa de turismo no deserto, às dunas de Erg Chebbi. Chegam a 100 metros de altura. O passeio de quadriciclo é divertido e fácil de fazer, sempre acompanhado por um bom e cuidadoso guia. Existem dunas fixas e móveis na região.

Deu até para posar para fotografias.

Saímos das dunas de Erg Lihoudi e fomos até a localidade de Tamegroute, uma cidadezinha de extrema religiosidade, que cresceu sob a influência do santo muçulmano Sidi Mohammed bem Nassir, fundador da fraternidade Nassiri que se notabilizou por resolver conflitos na região do Vale do Draa no século XVII.

Santuário sufista em Tamegroute

A vila ainda é um local de peregrinação e famosa por curas milagrosas. Um dos destaques fica para a biblioteca mais antiga do Marrocos, localizada na Madrassa de Zawiya Nassiriyya, onde existem mais de 4 mil textos, livros, mapas e outras relíquias antigas em prateleiras com vidro. Tivemos a oportunidade de sermos guiados por um dos guardiões da biblioteca. A região é dominada por seguidores da corrente sufista do islamismo.

A Biblioteca da Madrassa de Zawiya Nassiriyya

Depois de Tamegroute, finalmente chegamos a Zagora, na porta do Deserto do Saara, a última cidade em direção à Argélia. Zagora é uma cidadezinha pequena e sem atrativos, procurada apenas como local de dormida para os viajantes que desejam ter uma experiência no complexo de dunas ao lado do Deserto do Saara.

Comércio na pequena cidade de Zagora

Seguimos direto para o Hotel Riad der Sofian, de boa qualidade, com uma decoração charmosa. Jantamos na beira da piscina, sempre provando os vinhos marroquinos e degustando o cardápio local à base de cuscuz marroquino de carne, frango ou peru preparados na tagine.

O Hotel Riad der Sofian em Zagora.

 

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Marrocos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s