O ROCHEDO DE GIBRALTAR

15 de abril de 2018

O Rochedo de Gibraltar foi transferido definitivamente para da Espanha para o Reino Unido em 1713, pelo Tratado de Utrecht após uma guerra entre os dois países, em que a Espanha saiu derrotada. Se transformou num Território Ultramarino Britânico. É uma pequena península rochosa com uma estreita fronteira terrestre. A Espanha mantém a reivindicação sobre o rochedo, mas a população local de aproximadamente 35 mil habitantes rejeita essa ideia.

O Rochedo de Gibraltar

Logo depois de fazer a imigração em Gibraltar, encontramos um balcão de uma agência de viagens local que oferecia um tour guiado para as principais atrações da localidade. Compramos o passeio e seguimos adiante num tour com uma minivan.

Decidimos fazer um tour por Gibraltar.

Fizemos uma primeira parada na grande Caverna de São Miguel, com um grande e belo conjunto de estalactites e estalagmites. A caverna é totalmente modificada por intervenções arquitetônicas, o que tira um pouco do seu brilho. Uma excessiva iluminação artificial, muitas escadas feitas de cimento e até um auditório, descaracterizam a maravilha da natureza, mas possibilitam pequenas atividades culturais.

A Caverna de São Miguel

Continuamos a subir as estreitas estradas do rochedo que possui 426 metros de altitude. Paramos num mirante no caminho onde existem vistas espetaculares de Gibraltar. O Rochedo que recebe cerca de 800 mil visitantes por ano, chegou a ser cotado para ser uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

Belas vistas do alto do Rochedo de Gibraltar

Existe um teleférico que leva os visitantes ao topo do rochedo, mas seguimos de carro. Chegamos ao Rock Apes, uma parte do rochedo onde vivem os famosos e raros macacos de Berberia, uma espécie endêmica que é um dos símbolos de Gibraltar. Os macacos interagem com os turistas, puxam cabelos, pegam nas mãos e entram nos carros dos que deixam as janelas abertas.

Os macacos de Gibraltar.

Uma das atrações mais famosas de Gibraltar é o The Great Siege Tunnels, ou “Túneis do Grande Cerco”, um conjunto de tuneis escavados na rocha durante um cerco feito por França e Espanha a Gibraltar, no final do século XVIII.

A entrada do The Great Siege Tunnels

Na Segunda Guerra Mundial os túneis foram ampliados e chegaram a 52 km sob a rocha. Um verdadeiro labirinto que serve de proteção ao rochedo, um dos mais impressionantes sistemas de defesa já construído pelo homem.

Ao longo do túnel existem muitos canhões de defesa.

Lá de cima da para ver o Aeroporto de Gibraltar, que por uma questão de segurança só possui voos para e a partir do Reino Unido.

Aeroporto de Gibraltar

Saímos de Gibraltar no meio da tarde e pegamos a estrada para Sevilha. São 200 km de uma boa estrada, que fizemos em aproximadamente 3 horas. A estrada sobe rapidamente em direção à meseta espanhola, um grande planalto que ocupa boa parte do território espanhol.

Chegamos a Sevilha

Chegamos a Sevilha, devolvemos o carro na estação de trem e fomos para o bom hotel NH Plaza de Armas, com uma excelente localização. Saímos à noite, a pé para jantar no bom Restaurante La Piletas, próximo ao hotel. Um restaurante bem tradicional que é a cara da Espanha.

Placa do Restaurante Las Piletas

O Estreito de Gibraltar

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Espanha, Gibraltar, Inglaterra, Reino Unido e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s