O REAL ALCÁZAR E A PLAZA DE ESPAÑA EM SEVILHA

17 de abril de 2018

Após visitar a Catedral de Sevilha, seguimos para o Real Alcázar, que fica ao lado. O Palácio é o melhor exemplo de arquitetura em estilo mudéjar da cidade. A região da Andaluzia foi a que mais sofreu influência árabe. Foi a última região de ocupação moura da Península Ibérica.

Grandes filas para entrar no Real Alcázar

O palácio foi construído no século XIV, por iniciativa de Pedro I no mesmo local onde existiam os palácios dos governantes árabes de Sevilha. Em dois anos, artesãos de Granada e Toledo construíram uma joia de pátios e salões mudéjares.

Os ricos pátios do Real Alcázar

Foi no Real Alcázar que a Rainha Isabel assinou a carta de autorização para a viagem de Cristóvão Colombo que descobriu a América e a partir daí começou a exploração do Novo Mundo. Até hoje o Real Alcázar pertence e é utilizado pelos reis espanhóis.

Detalhes do Real Alcázar

O Palácio é ricamente decorado, destacam-se os arcos em formato de ferraduras do Salão dos Embaixadores com azulejos raros e trabalhos rebuscados de estuque.

Os arcos em forma de ferradura do Real Alcázar

Os jardins do Palácio possuem terraços, fontes e pavilhões que ocupam uma grande área externa, o que ameniza o calor do centro de Sevilha.

Os jardins do Real Alcázar

A última visita que fizemos no interior do palácio, foi aos banhos reais. Lanchamos aí e saímos para o Bairro da Santa Cruz, que se caracterizou no passado como um local de moradia dos judeus de Sevilha.

Os banhos do Real Alcázar

O bairro judeu da Santa Cruz é um amontoado de becos, pequenas praças escondidas e ruelas que levam a algumas das principais atrações da cidade. É o ponto mais central de Sevilha, cheio de turistas, lojinhas transadas, restaurantes e bares.

Lojas típicas no bairro judeu da Santa Cruz

Seguimos em direção aos Jardins de Maria Luísa, um parque público formado por uma imensa área verde no centro de Sevilha, que recebeu esse nome, pois o terreno onde foi implantado fazia parte da área privativa do Palácio de San Telmo e foi doado pela Princesa Maria Luísa, no final do século XIX, para que fosse construído um grande parque. Sevilhanos e turistas costumam usar o parque como uma importante área urbana de lazer.

A Plaza de España nos Jardins de Maria Luísa

No coração do Parque Maria Luísa foi construída a Plaza de España, que funcionou como cenário para a Exposição Ibero-americana de 1929. A praça tem um formato de anfiteatro com fontes e canais que amenizam a temperatura no verão.

A Plaza de España

A cidade estava lotada de turistas em função da Feira de Abril e a Plaza de España era um dos lugares mais visitados. Muitos turistas fazem fotos especiais com os detalhes da praça como moldura.

Fotos especiais na Feira de Abril

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Espanha e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s