A CERVEJARIA GUINNESS, O ESPÍRITO DE DUBLIN

18 de setembro de 2018

Dublin é a capital e maior cidade da Irlanda. Possui aproximadamente 600 mil habitantes e mais de 2 milhões na sua área metropolitana. Fica localizada na parte leste da Ilha da Irlanda. É hoje uma cidade moderna e cosmopolita. Recebe uma grande quantidade de visitantes e chama a atenção o número de intercambistas, sobretudo cidadãos de idiomas latinos e de outros idiomas diferentes do inglês, que escolhem a Irlanda para aprender ou aperfeiçoar esse idioma, levando a vantagem de poder pagar valores mais em conta que na Inglaterra. Muitos espanhóis, italianos, portugueses, mas sobretudo brasileiros.

Dublin é uma metrópole cosmopolita e moderna.

Nessa onda migratória que existe hoje no Brasil, a Irlanda é também um país de destino preferencial. Existem brasileiros por todos os lados.

A cidade é jovem e animada.

Saímos do hotel e pegamos um ônibus de turismo, desses do tipo Hop on Hop off, que os usuários podem descer e subir em qualquer ponto, pagando um ticket que tem validade de um dia. Os tickets são caros, mas acho que vale a pena, pois são tours guiados, geralmente em vários idiomas e que nos permite uma compreensão macro e generalizada da cidade.

O Hop on Hop off faz um tour panorâmico pela cidade.

Fizemos uma primeira parada na fábrica de cervejas da Guinness, um dos símbolos de Dublin. É uma parada quase que obrigatória e um dos locais mais visitados da cidade. O centro de visitação da Guinness, parece uma Disneilândia, para os amantes das cervejas e fãs dessa marca.

Chegando na fábrica da Guinness

A Guinness é uma cerveja única, de cor escura e que surgiu quase por um acaso. O Arthur Guinness, quando fabricava a sua cerveja nos métodos tradicionais, deixou queimar acidentalmente um lote de cevada e o resultado foi uma cerveja escura e com um sabor especial. A partir daí teve a ideia de fazer uma cerveja diferente e fugir da concorrência das outras ale, que são as cervejas de cevada maltada e produzidas em temperaturas mais elevadas.

A fábrica possui um museu para visitação.

Logo no início da visitação, está exposto o inusitado contrato de arrendamento do terreno onde a fábrica original foi construída. O contrato foi um aluguel da fábrica e dos terrenos dos arredores por um prazo excêntrico de 9 mil anos e por apenas 45 Libras por ano.

A visita à fábrica da Guinness

São sete andares de visitações e degustação das cervejas da Guinness. Fizemos tudo muito rapidamente, pois só sobrou um dia para Dublin.

A fábrica da Gunness é enorme

Seguimos adiante no Hop on Hop Off e fizemos a segunda e nossa última parada, já no final do tour, na Stephen Plaza. Dublin é uma cidade que possui muitas áreas verdes no seu miolo central. A mais importante é a Stephen Plaza, um grande jardim de 9 ha, localizado no centro e na parte mais nobre da cidade, onde uma multidão costuma frequentar para tomar um banho de sol no verão, fazer um lanche no intervalo do trabalho ou das aulas.

A Stephen Plaza

 

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Eire, Irlanda e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s