UMA CAMINHADA PELAS MARGENS DO RIO TÂMISA, EM LONDRES

20 de setembro de 2018

Estávamos em Londres e decidimos fazer uma caminhada extensa pela cidade. Começamos pela Tower Bridge, o mais importante marco da cidade e um dos seus maiores símbolos. Foi inaugurada em 1894 e é uma das pontes mais famosas do mundo. As partes centrais se elevam para permitir a passagem de grandes navios, formando um vão de até 42m de altura.

A Tower Bridge sobre o Rio Tâmisa.

Seguimos caminhando pelo calçadão nas margens do Rio Tâmisa. Uma área movimentada e revitalizada da cidade, cheia de restaurantes modernos e áreas públicas de lazer. Na beira do Rio Tâmisa aparecem parques, calçadões e boas opções de caminhada. São vários os restaurantes e pontos de visitação.

Parques e calçadões se espalham pelas margens do rio.

O Rio Tâmisa é a principal artéria de Londres, possui uma foz em estuário, o que facilita a navegação e foi o responsável por todo o seu desenvolvimento. O Tâmisa deu água e escoou os dejetos industriais e residenciais da cidade por toda a sua vida, além de ter sido uma importante via de comércio. Hoje o rio já foi tratado e a poluição nas suas águas diminuiu significativamente. Fez de Londres uma das principais cidades do mundo.

Rio Tâmisa

A localização protegida e privilegiada estimulou o desenvolvimento de uma navegação potente e poderosa, ajudando a Inglaterra a dominar o mundo por uma boa parte dos séculos XVIII e XIX.

O Rio Tâmisa continua sendo bastante utilizado para transporte de cargas e pessoas.

Foi nas margens do Tâmisa que aconteceu a Revolução Industrial inglesa. Hoje, as industrias desapareceram das margens do rio, e apareceram os prédios modernos de escritórios e condomínios residenciais.

Prédios modernos modificam a paisagem do Tâmisa.

Um dos destaques do calçadão fica para o The Globe, o teatro dedicado a Shakespeare, com uma reprodução do teatro antigo da Companhia Shakespeariana, do século XVI. Existem apresentações teatrais frequentes no teatro e, é claro, que Shakespeare é o tema central. Quando estávamos passando pelo The Globe, tivemos a oportunidade de entrar para fazer algumas fotos, pois estava finalizando de uma peça e os portões estavam abertos.

O interior do The Globe, o teatro antigo da Companhia Shakespeariana

Passamos ao lado da London Eye que tinha filas enormes para o acesso naquele fim de tarde frio e de muito vento em Londres.

A London Eye

Atravessamos a Westminster Bridge, de onde se tem as melhores vistas da Casa do Parlamento Britânico, o Palácio de Westminster, que começou a adquirir o formato atual em meados do século XIX, após o grande incêndio de 1834 que destruiu boa parte do antigo palácio. A partir daí começou a ser reconstruído. No local já existiam palácios desde o século XI, na Idade Média.

O Palácio possui várias torres, a mais alta é a Victoria Tower, com 98m de altura. Na parte interna ficam as Câmaras do Parlamento Britânico: A Câmara do Lordes e a Câmara dos Comuns. Na parte externa fica a estátua de Ricardo Coração de Leão. O famoso monarca britânico que organizou cruzadas e ficou imortalizado na lenda de Robin Hood.

A Westminster Bridge

No final da ponte, a grande torre do relógio mais famoso do mundo, o Big Ben, estava totalmente coberta por andaimes e isolado para reforma e restauração. A obra está sendo feita para corrigir uma pequena inclinação que começou a aparecer na torre, além de manutenção do relógio mais famoso do mundo e um dos maiores símbolos de Londres, o Big Ben. O famoso relógio foi inaugurado em 1859, no apogeu do Império Britânico. A Tower Clock, a torre onde fica o Big Ben está ao lado do Palácio de Westminster, no prédio do Parlamento Britânico, ás margens do Rio Tâmisa. Em 2012, a Tower Clock foi rebatizada com o nome de Elizbeth Tower em homenagem aos Jubileu de Diamante da Rainha Elizabeth II.

A Tower Clock em obra

Big Ben na realidade não é o nome do relógio e sim, do sino de 14 toneladas que fica na Torre e que é acionado a cada hora pelo grande relógio. O apelido é uma homenagem a Sir Benjamin Hall, ministro de obras públicas da Inglaterra no período da inauguração do relógio e que foi o responsável pela obra. A torre onde fica o relógio possui 106m de altura e cada uma das faces têm diâmetros de 7,5m. O ponteiro dos minutos mede 4,26m. As visitas à Torre são proibidas, mas é permitido visitar os salões do Parlamento.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Inglaterra, Reino Unido e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s