O CICLO DA BORRACHA NA AMAZÔNIA

23 de abril de 2015.

Saímos à tarde para mais um passeio pelo Rio Negro. Dessa vez fomos até o Museu da Seringueira, localizado num antigo set de filmagem que a Rede Globo montou para a série “A Selva”.

O Museu da Serigueira na Amazônia.

O Museu da Serigueira na Amazônia.

A construção não é original, do período do Ciclo da Borracha. Foi construído pela Globo para filmar a série, mas possui uma riqueza de detalhes que nos confunde e faz, de fato, imaginar a casa de um Barão da Borracha do século XIX.

A casa do Barão da Borracha.

A casa do Barão da Borracha.

O Primeiro Ciclo da Borracha na Amazônia aconteceu no final do século XIX e no início do século XX. Teve o seu apogeu entre 1879 e 1912, após o surgimento do automóvel, quando a indústria automobilística potencializou o uso da borracha. Obtida a partir do látex da seringueira, árvore originária da Amazônia.

A seringueira era uma exclusividade da Amazônia.

A seringueira era uma exclusividade da Amazônia.

Desde o início da Revolução Industrial, no século XVIII, a borracha passou a ter uma importância grande nas atividades industriais. Industrias de máquinas e equipamento e outras de bens de consumo, sempre usaram a borracha como um dos componentes dos seus produtos.

O látex era transformado em grandes bobinas para exportação.

O látex era transformado em grandes bobinas para exportação.

A borracha vinha do látex e o látex era obtido da seringueira, um produto exclusivo da Amazônia brasileira. No final do século XIX, Manaus se tornou o centro de comercialização desse produto para o Mundo. O látex era obtido em áreas distantes e trazido para Manaus de onde saia para a Europa e para os Estados Unidos.

O látex é obtido a partir de cortes feitos no tronco da seringueira.

O látex é obtido a partir de cortes feitos no tronco da seringueira.

Nessa época o Brasil proibiu a saída de mudas de seringueiras do país, para ter a exclusividade do produto por mais tempo. Os ingleses levaram vários navios com contrabando de mudas para o sudeste da Ásia. Essas mudas foram plantadas na região da Indochina, nos atuais territórios do Vietnam, Laos e Malásia, onde a seringueira obteve excelentes resultados.

O processo de preparação das bobinas de látex.

O processo de preparação das bobinas de látex.

O látex do Sudeste da Ásia inundou o Mundo de borracha e o preço caiu, pondo fim ao Ciclo da Borracha brasileiro, diminuindo a riqueza da Amazônia. Durante a Segunda Guerra Mundial houve um novo ciclo de bons preços, que porém, durou apenas o período da Guerra, quando o Sudeste da Ásia foi invadido pelo Japão e cancelou o comércio com o Ocidente.

Detalhes da casa museu da seringueira.

Detalhes da casa museu da seringueira.

Durante o Ciclo da Borracha, a Amazônia recebeu uma grande leva de nordestinos, que foram trabalhar aí na extração do látex. Os nordestinos ajudaram na composição demográfica da região.

Os nordestinos foram para a Amazônia trabalhar no Ciclo da Borracha.

Os nordestinos foram para a Amazônia trabalhar no Ciclo da Borracha.

O trabalho que faziam tinha características de trabalho escravo. Já chegavam nos seringais devendo ao Barão da Borracha as despesas da viagem. Viviam nas propriedades e todos os mantimentos e bens que usavam eram fornecidos pela estrutura do seringal. Com isso se endividavam ainda mais e não conseguiam sair daí.

Simulação de uma venda no Museu da Seringueira.

Simulação de uma venda no Museu da Seringueira.

Na Amazônia Brasileira, a seringueira não foi introduzida como monocultura, ao contrário do que aconteceu no sudeste da Ásia. As dificuldades estavam relacionadas com a densidade da floresta e com os problemas com a laterização dos solos. Com isso a produtividade nossa era pequena quando comparada com a dos asiáticos. Perdemos em competitividade.

Cabana típica dos seringueiros da Amazônia.

Cabana típica dos seringueiros da Amazônia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos soldados brasileiros que se alistaram para combater na Europa, foram mandados para a Amazônia, para aumentar a produção do látex da seringueira. Foram chamados de “Os Soldados da Borracha”.

Simulação de transporte das bobinas de látex.

Simulação de transporte das bobinas de látex.

Após a Segunda Guerra surgiu a borracha sintética, obtida a partir de derivados de petróleo. Com isso a borracha vegetal e o preço do látex caíram ainda mais.

Área de preparo das bobinas de látex.

Área de preparo das bobinas de látex.

Anúncios

Sobre joaquimnery

Joaquim Nery Filho é geógrafo, agente de viagens e empresário do showbusiness. Apaixonado por viagens e fotografia.
Esse post foi publicado em Amazonas, Brasil e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para O CICLO DA BORRACHA NA AMAZÔNIA

  1. joyce disse:

    Um arrasso!!!!!

  2. Stefan disse:

    Jamais devemo-nos esquecer, que foi exclusivamente o produto não perecível e de interesse global, a borracha abundante nas florestas amazônicas, que transformou a Amazônia e, especialmente os seus interiores, de terra selvagem em terreno de potencial econômico! – Atualmente, não há qualquer chance de desenvolvimento nos interiores em crônica recessão, devido à falta de logística, mobilidade e visão de mercado!

  3. Gustavi disse:

    Excelente, muito obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s