SÃO PETERSBURGO, UMA DAS “VENEZAS DO NORTE”

26/06/2016

Pegamos um barco no Cais do Almirantado, para fazer um tour complementar pelo Rio Neva. Em função da grande quantidade de canais que estão emaranhados por São Petersburgo e por estar localizada a 60º de latitude norte, bem perto do Círculo Polar Ártico, a cidade já foi também apelidada de “A Veneza do Norte”, como Bruges e Amsterdam. Pedro, O Grande e a sua paixão pela Europa, e em especial por Amsterdam, a concebeu assim.

São Petersburgo, a Veneza do Norte

São Petersburgo, a Veneza do Norte

O Rio Neva é largo, caudaloso, imponente e majestoso. Possui inúmeros braços e isso possibilitou a construção da cidade, com dezenas de pontes e canais navegáveis. De qualquer lado do Rio Neva pode-se ver a grandiosidade da arquitetura de São Petersburgo, com os seus palácios maravilhosos.

Palácios nas margens do Rio Neva.

Palácios nas margens do Rio Neva.

Começamos a navegar pelo Neva e logo na saída demos de cara com a magnitude do Palácio de Inverno de Catarina, A Grande. É aí que fica o Museu Hermitage com as suas fantásticas coleções de arte. O Palácio de Inverno cresceu e foram anexadas novas alas, dentre elas o Teatro de Catarina.

O maravilhoso Palácio de Inverno.

O maravilhoso Palácio de Inverno.

Navegávamos num barco raso e de pouca altura, possibilitando passar por baixo das inúmeras pontes do Rio Neva. Estas pontes são levadiças. Permanecem fechadas durante o dia e são abertas, todas ao mesmo tempo, das 1:30h às 5:30h da manhã. A abertura viabiliza a passagem de uma enorme procissão de grandes navios cargueiros e de Cruzeiros. Durante esse período, os dois lados da cidade ficam incomunicáveis para carros. O espetáculo das pontes levadiças sendo abertas é uma das atrações turísticas da cidade. Um multidão se reúne nas madrugadas de verão para aproveitar as “noites brancas” e ver o espetáculo da iluminação sobre as pontes.

As pontes levadiças sobre o Rio Neva

As pontes levadiças sobre o Rio Neva

Na beira da Fortaleza de São Pedro e São Paulo existe uma das poucas praias do Neva. Os russos usam a areia para se divertir no curto espaço de verão que possuem.

Castelos de areia na praia do Rio Neva.

Castelos de areia na praia do Rio Neva.

Após o passeio pelos canais de São Petersburgo e pelo Rio Neva, seguimos caminhando pela Avenida Nevirsky e aproveitando ainda mais dos seus palácios e casarões com arquitetura maravilhosa.

Detalhe de fachada em Palácio na Avenida Nevirsky

Detalhe de fachada em Palácio na Avenida Nevirsky

Numa das entradas na Nevirsky, seguimos até a Praça das Artes, onde está a estátua do mais famoso poeta russo, Alexandr Pushkim, que viveu em São Petersburgo no século XIX. A tragédia da morte de Pushkim, após um duelo com um oficial francês, motivado por ciúmes da sua linda mulher, Natália Gontcharôva deu força à imagem lendária do poeta Pushkim.

Estátua de Pushkim na Praça das Artes.

Estátua de Pushkim na Praça das Artes.

Também ao lado da principal avenida de São Petersburgo fica a Praça Ostróvski, com a famosa estátua monumento de Catarina II, também conhecida como Catarina A Grande. Na base da estátua, as figuras de alguns dos seus mais próximos auxiliares. Muitos boatos citam os seus auxiliares como amantes no seu tempo.

Estátua de Catarina a Grande na Praça Ostróvski

Estátua de Catarina a Grande na Praça Ostróvski

Seguimos adiante e pegamos uma chuva inesperada. O tempo em São Petersburgo pode mudar sempre muito rapidamente. Estávamos orientados a ter um guarda-chuvas sempre em mão. Não seguimos o conselho e fomos surpreendidos, mas não dava para fugir dos nossos caminhos.

Chove muito em São Petersburgo.

Chove muito em São Petersburgo.

Aproveitamos a chuva para entrar na espetacular Catedral do Sangue Derramado ou Templo da Ressurreição de Cristo. A Catedral fica ao lado do Canal de Catarina. Foi construída numa clara inspiração da Catedral de São Basílio em Moscou, no final do século XIX, numa tentativa de São Petersburgo, em retomar o estilo arquitetônico russo e fugir um pouco dos estilos europeus que marcam a maior parte da cidade. A Catedral de São Basílio de Moscou é do século XVI.

A maravilhosa Catedral do Sangue Derramado de São Petersburgo.

A maravilhosa Catedral do Sangue Derramado de São Petersburgo.

O Templo recebeu o apelido de Catedral do Sangue Derramado porque foi construída no mesmo local onde houve o assassinato, por terroristas russos, do Imperador Alexandre II. Durante muito tempo, o sangue de Alexandre ainda estava preservado no piso da Catedral.

Detalhes da Catedral do Sangue Derramado.

Detalhes da Catedral do Sangue Derramado.

A Catedral é ricamente decorada por lindos mosaicos e azulejos. Isso contribuiu para que ela fosse salva da destruição durante o período comunista na União Soviética.

Belos mosaicos na fachada da Catedral

Belos mosaicos na fachada da Catedral

O interior da Catedral é riquíssimo, com lindos mosaicos e uma grande quantidade de ícones, confirmando o estilo das catedrais russas.

O rico interior da Catedral do Sangue Derramado.

O rico interior da Catedral do Sangue Derramado.

 

No interior, um rico dossel foi implantado no lugar da morte de Alexandre II. Era na base do dossel que o sangue de Alexandre podia ser visto.

O dossel no local onde Alexandre I foi assassinado.

O dossel no local onde Alexandre I foi assassinado.

Após a visita à Catedral voltamos para a Nevirsky. Paramos na Ponte Anitchkov, para fotografar as famosas esculturas dos domadores de corcéis, do escultor russo Piotr Klodt.

O Domador de Corcel.

O Domador de Corcel.

Ainda na Nevirsky paramos em frente à Casa da Companhia Singer, um dos edifícios mais emblemáticos de São Petersburgo. Esse edifício foi construído no início do século XX, pelo arquiteto Pavel Susor, para a companhia americana de máquinas de costura, Singer. Seguia estilos americanos de Chicago, usando uma predominância de aço e vidro. Hoje em dia, o edifício sedia uma grande livraria “Casa do Livro” e continua sendo um dos símbolos da cidade.

A Casa da Companhia Singer

A Casa da Companhia Singer

Paramos para jantar num bom restaurante russo, o Katiuska, localizado no meio da Avenida Nevirsky. Pegamos um metrô de volta para o hotel e já estávamos achando tudo muito fácil.

O Rio Neva

O Rio Neva

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

UM PASSEIO PANORÂMICO POR SÃO PETERSBURGO

26/06/2016

Saímos pela manhã para um tour panorâmico por São Petersburgo. Começamos o passeio pela Avenida Nevirsky, onde já tínhamos ido o dia anterior. A Nevirsky é a artéria principal da cidade e onde tudo acontece. É o centro econômico, financeiro e cultural. Aí estão alguns dos principais monumentos e os acessos para outros ícones de São Petersburgo.

A Avenida Nevskiy.

A Avenida Nevskiy.

Fizemos uma primeira parada em frente à magnífica Catedral do Sangue Derramado, cujo nome oficial é: Templo da Ressurreição de Cristo. A Catedral foi construída no final do século XIX e inspirada na de São Basílio de Moscou, que é do século XVI. Possui o mesmo estilo, com as cúpulas coloridas em forma de cebolas.

Catedral do Sangue Derramado

Catedral do Sangue Derramado

Recebeu o apelido de Catedral do Sangue Derramado porque foi construída no mesmo local onde foi assassinado, por terroristas russos, o Imperador Alexandre II. Alexandre, durante o seu governo, tinha feito grandes reformas no Estado, dentre elas decretado o fim da servidão na Rússia.

Detalhes das cúpulas da Catedral do Sangue Derramado

Detalhes das cúpulas da Catedral do Sangue Derramado

Em frente à Catedral ficam várias barracas de artesanato. Fizemos algumas fotos por aí e seguimos adiante em direção à Praça do Palácio. Aí está localizado o magnífico Palácio de Inverno, onde hoje fica o Museu Hermitage. Fomos visitá-lo no dia seguinte.

A Praça do Palácio

A Praça do Palácio

Atravessamos a Nevirsky e seguimos para a ilha Vassílevski, onde a cidade surgiu. No início do século XVIII, Pedro, O Grande, decidiu construir o centro da nova cidade de São Petersburgo exatamente aí, na Ilha Vassílevski. A cidade que adotou um estilo arquitetônico europeu, era inspirada em Amsterdam, a preferida de Pedro. A presença do Rio Neva, dos canais e das ilhas ajudavam no traçado urbanístico.

A presença do Rio Neva valoriza o traçado urbano de São Petersburgo.

A presença do Rio Neva valoriza o traçado urbano de São Petersburgo.

Entramos pela ponta da Ilha Vassílevski, onde fica o edifício da Bolsa de Valores, que hoje, sedia o Museu Zoológico, e as duas colunas “Rostrais”, decoradas por “Rostros”, figuras simbólicas que eram colocadas em proas de navios. As Colunas Rostrais serviam também como faróis na ponta da ilha.

Uma das Colunas Rostrais

Uma das Colunas Rostrais

Passamos em seguida pela pequena ilhota ao lado da Ilha Vassílevski onde foi erguida a Fortaleza de São Pedro e São Paulo e seguimos adiante.

Detalhe da Fortaleza de São Pedro e São Paulo.

Detalhe da Fortaleza de São Pedro e São Paulo.

Na Ilha Vassílevski ficam também os históricos e luxuosos prédios da Universidade Federal de São Petersburgo. Todo esse conjunto arquitetônico serve de moldura para o Rio Neva e faz de São Petersburgo uma cidade extraordinária.

Os prédios da Universidade Federal de São Petersburgo

Os prédios da Universidade Federal de São Petersburgo

Saímos da Ilha Vassílevski e fomos até uma grande loja de artesanatos. Uma parada estratégica para uso de banheiros e para comprar as últimas lembranças da Rússia.

O rico artesanato russo.

O rico artesanato russo.

Continuamos o tour panorâmico e passamos em frente à Catedral de São Nicolau, o santo padroeiro dos marinheiros. São Nicolau é muito querido pelos ortodoxos russos. A igreja foi construída no século XVIII. Foi uma das poucas que permaneceu funcionando, mesmo no período comunista da União Soviética. Das centenas de igrejas e catedrais de São Petersburgo, apenas quatro ficaram funcionando durante o período comunista.

A Catedral de São Nicolau

A Catedral de São Nicolau

São Petersburgo, desde a sua origem, sempre foi uma cidade multi religiosa. Essa foi uma decisão de Pedro, O Grande, que rompeu com a intolerância religiosa de Moscou e diminuiu o poder da Igreja Ortodoxa russa. Por esse motivo a cidade possui inúmeros templos de várias religiões e diferentes cultos. O cristianismo, o judaísmo, o islamismo e o budismo, estão aí representadas.

O Campanário ao lado da Catedral de São Nicolau

O Campanário ao lado da Catedral de São Nicolau

A União Soviética eliminou completamente a religião da vida dos seus cidadãos, se tornou, por decreto, um país ateu. O regime comunista confiscou propriedades religiosas, destruiu igrejas e templos de grande valor histórico e cultural.

A Catedral da Virgem de Kazan.

A Catedral da Virgem de Kazan.

Passamos em frente à gigantesca Catedral de Santo Isaac, a maior de São Petersburgo.

A Catedral de Santo Isaac

A Catedral de Santo Isaac

Seguimos até a Praça do Senado, em frente ao Rio Neva, onde fica a estátua de Pedro o Grande montado num cavalo, o mais famoso monumento de São Petersburgo, que foi doada à cidade por Catarina a Grande.

Estátua de Pedro I, O Grande.

Estátua de Pedro I, O Grande.

Seguimos até o Cais do Almirantado, na beira do Rio Neva, onde passamos em frente à estátua de Pedro o Trabalhador. Mais uma homenagem a Pedro, O Grande, que era também conhecido pelas suas habilidades manuais e de carpintaria. Pedro era um construtor e fez pessoalmente alguns barcos. Organizou a marinha russa. A estátua simboliza essas suas características.

 A estátua de Pedro o Trabalhador

A estátua de Pedro o Trabalhador

Pegamos um barco para fazer um tour complementar pelo Rio Neva.

O Rio Neva

O Rio Neva

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

SÃO PETERSBURGO, A CAPITAL DA RÚSSIA IMPERIAL

26/06/2016

Ficamos encantados por São Petersburgo desde a chegada na tarde anterior. A cidade surgiu no início do século XVIII, a partir da decisão do Czar Pedro, O Grande, em mudar a capital do país, saindo da não confiável Moscou para uma nova cidade onde ele pudesse reinar com maior poder e tranquilidade.

São Petersburgo

São Petersburgo

Pedro criou a marinha russa, reformou o exército e partiu para um confronto com a Suécia, onde se saiu vencedor de forma espetacular, na batalha de Poltava, acabando com um ciclo de domínio sueco sobre essa área do Mar Báltico que já durava mais de 100 anos.

Estátua de Pedro I, O Grande.

Estátua de Pedro I, O Grande.

A decisão de criar a cidade de São Petersburgo veio como forma de obter maior controle sobre as rotas marítimas e as linhas fluviais entre o Mar Báltico e o Mar Negro. A cidade foi construída sobre áreas pantanosas, próxima à foz do Rio Neva, na entrada do Golfo da Finlândia, no Mar Báltico. Foi declarada capital da Rússia em 1712 e manteve essa função por 200 anos. Moscou se transformou na segunda cidade do país.

O Rio Neva

O Rio Neva

As grandes obras começaram e caminharam muito rapidamente. Dez anos depois São Petersburgo já tinha um formato próprio e planejado. A cidade seguia padrões urbanísticos e arquitetônicos europeus, com ruas retas, canais e embarcadouros. Fica evidente as semelhanças com as cidades holandesas. Fazia parte do sonho de Pedro em transformar a Rússia num país cada vez mais europeu e menos asiático.

A cidade seguia os padrões urbanísticos europeus.

A cidade seguia os padrões urbanísticos europeus.

A cidade estava protegida pela Fortaleza de Pedro e Paulo, próximo à foz do Rio Neva. No miolo central surgiam lindos palácios e residências privadas que marcavam a nova capital imperial.

A Fortaleza de São Pedro e São Paulo.

A Fortaleza de Pedro e Paulo.

Após a Revolução Russa de 1914, São Petersburgo mudou de nome e passou a se chamar Petrogrado. Após a Revolução Bolchevique, em 1918, a sede do recém formado governo comunista, saiu de Petrogrado e foi instalado em Moscou. Com a morte de Lenin em 1924, a cidade mudou de nome mais uma vez e passou a se chamar Leningrado, numa homenagem ao líder da Revolução Bolchevique. Com o desmoronamento do regime comunista da União Soviética, em 1991, Leningrado voltou a adotar o nome de origem e mais uma vez passou a se chamar São Petersburgo.

Com o fim do regime comunista, a cidade voltou a florescer.

Com o fim do regime comunista, a cidade voltou a florescer.

Com o fim do regime comunista, a nova São Petersburgo voltou a brilhar. Recuperou o nome de origem, várias igrejas voltaram a abrir as portas. Muitos edifícios históricos abandonados começaram a ser recuperados. Muitos museus foram abertos e até mesmo os restos mortais do Imperador Nicolau II e da sua família, que foram mortos pela Revolução Bolchevique, foram transferidos e enterrados na Catedral de São Pedro e São Paulo, onde ficam as criptas dos imperadores russos.

A Cripta dos Romanov

A Cripta dos Romanov

Hoje é a segunda maior cidade da Rússia, com cerca de 5 milhões de habitantes na sua área metropolitana e a capital cultural do país.

Detalhes de São Petersburgo.

Detalhes de São Petersburgo.

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

CHEGANDO A SÃO PETERSBURGO

25/06/2016

Chegou o dia de deixarmos Moscou para trás. Seguimos para a estação, onde pegamos um trem para São Petersburgo. Nesse momento, aconteceu um primeiro stress na viagem. Dr. Eduardo Nery quase foi impedido de embarcar, pois o número do passaporte que constava na passagem do trem não coincidia com o número real. Depois de muita argumentação e da interferência do guia da Special Tours, deu tudo certo e seguimos para São Petersburgo, numa viagem de três horas. Chegamos a São Petersburgo e fomos nos hospedar no Hotel Holliday inn, muito bem localizado e com um bom serviço, ao lado do Arco de Moscou, na entrada da parte central da cidade.

Seguimos de trem para São Petersburgo.

Seguimos de trem para São Petersburgo.

Nos alojamos no hotel e decidimos seguir para o centro de São Petersburgo. Saímos para a cidade em busca da Nevskiy Prospekt, a principal avenida do lugar. Foi muito fácil seguir de metrô, havia uma estação ao lado do hotel e pegamos informações consistentes. Ao contrário de Moscou, o metrô de São Petersburgo possui sinalização em alfabeto latino, o que facilita o acesso.

A Porta de Moscou, ao lado do nosso hotel.

A Porta de Moscou, ao lado do nosso hotel.

Os recepcionistas do hotel não recomendaram a ida até o centro da cidade naquela noite, pois haveria uma grande festa de jovens, que estavam comemorando o final do ano letivo. Segundo ele seria uma festa de muitas bebidas e o clima estaria muito tenso. Decidimos arriscar e adoramos.

A Avenida Nevskiy Prospekt estava em festa.

A Avenida Nevskiy Prospekt estava em festa.

Quando chegamos à Nevskiy Prospekt, a rua estava em festa. Era a comemoração da graduação da High School. Mais de 100 mil pessoas, circulavam pelas ruas e faziam festas para todos os lados.

A Avenida Nevskiy Prospekt estava lotada.

A Avenida Nevskiy Prospekt estava lotada.

Músicos e artistas de rua atraiam multidões. Chamou a atenção um grupo muito jovem tocando música clássica para a multidão, como se estivessem num show de pop rock.

Música clássica no meio da rua.

Música clássica no meio da rua.

Na São Petersburgo, que foi capital da Rússia Imperial, e que era a segunda cidade mais importante da União Soviética comunista, ficamos surpresos por ver ruas privatizadas para comemorar uma festa escolar. Só entrava na festa quem tinha ingresso.

Ruas privatizadas no centro de São Petersburgo.

Ruas privatizadas no centro de São Petersburgo.

A Avenida Nevskiy é a mais importante artéria da cidade. Aí estão os principais marcos de São Petersburgo. É um resumo da história da era dos Czares e um resumo dos cafés e butiques que inundam a moderna São Petersburgo. É um pouco da vida social da cidade, desde o século XVIII.

Galerias na Avenida Nevskiy

Galerias na Avenida Nevskiy

A Nevskiy está para São Petersburgo, como a Champs Elysées está para Paris. É o ponto de partida ideal para explorar a cidade. Alguns dos principais pontos turísticos de São Petersburgo estão na Nevskiy ou nos seus arredores.

A Catedral da Virgem de Kazan em São Petersburgo.

A Catedral da Virgem de Kazan em São Petersburgo.

A avenida possui 4,5 km de extensão e estava completamente lotada e as pessoas não paravam de chegar. Durante o regime comunista a Nevskiy perdeu o brilho, mas agora voltou a ser como no início do século XX.

Os entornos da Avenida Nevskiy estavam lotados.

Os entornos da Avenida Nevskiy estavam lotados.

A Avenida foi o eixo central do planejamento urbano que levou à fundação de são Petersburgo, pelo Czar, Pedro, O Grande. Palácios, monumentos e prédios históricos compõem a estrutura da Avenida.

A Avenida é repleta de monumentos e obras de arte.

A Avenida é repleta de monumentos e obras de arte.

Jantamos no excelente restaurante Asia, do Hotel Europa, um dos mais exclusivos da Nevskiy. Ficamos na varanda externa, ao lado da calçada e não imaginávamos que o restaurante seria tão bom. Foi coincidência, mas adoramos.

Música de rua na Avenida Nevskiy

Música de rua na Avenida Nevskiy

 

 

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

KREMLIN: A FORTALEZA DE MOSCOU

25/06/2016

Pela manhã seguimos para a esperada visita ao Kremlin, a cidadela dos Czares, sede do governo russo e símbolo maior do poder no país. A origem do Kremlin data do início do século XII, quando o Príncipe Russo Yuri Dolgoruky construiu o primeiro Kremlin, de madeira, na confluência dos rios Moskva e Neglinaya. Kremlin significa Fortaleza, e essa era a proposta da construção.

As muralhas do Kremlin

As muralhas do Kremlin

A primeira grande expansão do Kremlin veio no século XV, com Ivan III, que convidou vários arquitetos italianos para construir os grandes prédios do complexo. Nessa época foram projetados a Catedral da Assunção e o Palácio Facetado. Na época do Império, o Kremlin servia de palco para as grandes cerimônias oficiais, como coroações, batismos e enterros.

O interior do Kremlin

O interior do Kremlin

A principal agressão ao Kremlin aconteceu nos anos 1930, nos tempos da URSS, quando foi fechado e vários dos seus prédios, palácios e igrejas foram destruídos por ordem de Stalin. Somente após a morte de Stalin, o Kremlin voltou a ser, parcialmente aberto ao público.

Conjunto de igrejas e catedrais no interior do Kremlin.

Conjunto de igrejas e catedrais no interior do Kremlin.

Por ser a sede do governo Russo, apenas uma parte do Kremlin pode ser visitada pelos turistas. As grandes atrações, porém, estão disponíveis, como o Arsenal do Estado, O Palácio do Patriarca e as Igrejas da Praça da Catedral.

Jardins na área interna do Kremlin

Jardins na área interna do Kremlin

Entramos no Kremlin pela Torre da Trindade, que tem o nome em homenagem ao Mosteiro da Trindade de São Sérgio. É aí ao lado que fica a bilheteria principal de entrada no Kremlin. Um forte esquema de segurança marca o acesso ao local. Era por essa porta que entravam os Patriarcas (líder maior da Igreja Ortodoxa Russa), as viúvas e as filhas dos Czares.

A Torre da Trindade.

A Torre da Trindade.

A Torre da Trindade é a mais alta do Kremlin, possui sete andares e 76 metros de altura. Foi construída no final do século XV e era ligada à Torre Kutafya por uma ponte sobre o Rio Neglinaya, que hoje foi canalizado e corre por debaixo da terra.

A Torre Kutafya

A Torre Kutafya

Foi por essa ponte que Napoleão entrou triunfante no Kremlin em 1812 após a conquista de Moscou e saiu derrotado um mês depois, quando os russos incendiaram a sua própria cidade.

Napoleão entrou no Kremlin por aí.

Napoleão entrou no Kremlin por aí.

Logo na entrada do Kremlin, passamos pelo Palácio Estatal, inaugurado em 1961 pelo primeiro-ministro soviético Nikita Kruchov, para sediar os congressos do Partido Comunista da União Soviética. Hoje o Palácio abriga eventos culturais, óperas, shows de rock e é usado pela Companhia de Balé do Kremlin.

O Palácio é o único prédio moderno do complexo do Kremlin. Possui cerca de 120 metros de comprimento e está afundado, 15 metros no subsolo, para não competir com os prédios vizinhos. O auditório principal do Palácio onde ocorriam os encontros do Partido Comunista possui 6 mil lugares.

O Palácio Estatal

O Palácio Estatal

Passamos em frente ao “Canhão do Czar”, fundido em 1586 e que possui 40 toneladas e seguimos em direção ao Campanário de Ivan.

O canhão do Czar

O canhão do Czar

O Campanário de Ivan é uma construção elegante, apelidada de O Grande, pela altura do prédio, com 81 metros, já foi o edifício mais alto de Moscou no início do século XVII.

O Campanário de Ivan

O Campanário de Ivan

A Torre da Assunção foi erguida ao lado do Campanário entre 1532 e 1543. Possui 21 sinos. O maior deles, o Assunção, era tocado três vezes quando um Czar morria.

A Torre da Assunção

A Torre da Assunção

Fora do Campanário, na parte baixa do complexo, aparece o enorme “Sino do Czar”, considerado o maior do Mundo, com 200 toneladas. Num incêndio, em 1701, ele caiu do Campanário e se partiu. Outro sino igual foi mandado construir pela Czarina Ana. Quando o Kremlin voltou a pegar fogo em 1737, jogaram água fria sobre o sino, que se partiu e um pedaço grande se quebrou. Até hoje o pedaço quebrado encontra-se exposto ao lado do sino.

O Sino do Czar

O Sino do Czar

Seguimos em direção á praça onde ficam as principais igrejas do Kremlin. Estava acontecendo um evento de formatura militar de jovens oficiais. Muitos discursos, execução de hinos e desfile militar.

Desfile militar no interior do Kremlin

Desfile militar no interior do Kremlin

Na praça visitamos em primeiro lugar a Catedral do Arcanjo, a última das catedrais do Kremlin a ser construída. Foi encomendada por Ivan III em 1505, pouco antes de morrer. A Catedral se tornou o lugar de sepultamento dos Príncipes e Czares de Moscou.

A Catedral do Arcanjo.

A Catedral do Arcanjo.

Em frente à Catedral do Arcanjo fica a Catedral da Anunciação, também encomendada por Ivan III, em 1484 para ser a Capela Real. A Catedral da Anunciação era a Igreja dos Czares.

A Catedral da Anunciação

A Catedral da Anunciação

A decoração interna é intensa e possui cores quentes. A Iconóstase é considerada como uma das melhores do país. A Iconóstase separa o santuário da parte principal da igreja. Os ícones são pinturas dispostas em fileiras, e geralmente dentro de molduras, cada qual com um tema e significado próprio. A Igreja Ortodoxa Russa usa os ícones tanto para adoração como para ensino da religião.

A Iconóstase da Catedral da Anunciação.

A Iconóstase da Catedral da Anunciação.

O templo mais importante do Kremlin é a Catedral da Assunção. A primeira construção data do início do século XIV, a atual foi mandada construir por Ivan, O Grande, em 1470. Ali os Príncipes eram coroados e enterrados.

A Catedral da Assunção.

A Catedral da Assunção.

A Catedral possui enormes cúpulas douradas, com janelas, por onde a luz penetra e ilumina o interior do templo.

A Catedral da Assunção.

A Catedral da Assunção.

No interior da Catedral, maravilhosos afrescos e ícones da Igreja Ortodoxa.

Os ícones da Igreja Ortodoxa contam histórias bíblicas

Os ícones da Igreja Ortodoxa contam histórias bíblicas

Os pilares centrais possuem pinturas de mais de cem figuras de mártires e guerreiros canonizados.

O interior da Catedral é exuberante.

O interior da Catedral é exuberante.

Com a morte de Ivan III, assumiu o trono, o seu neto Ivan IV, ou Ivan o Terrível. O título de Czar surgiu com Ivan, o Terrível, que se transformou no primeiro-príncipe de Moscou e Czar de “todas as Rússias”. No seu governo, a Rússia se expandiu pela Sibéria e chegou até o Pacífico.

Jardins do Kremlin

Jardins do Kremlin

Na saída do Kremlin, encontramos os jovens oficiais recém formados, que saiam para comemorar com os seus familiares.

Jovens oficiais no Kremlin

Jovens oficiais no Kremlin

 

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

O BALÉ NACIONAL RUSSO KOSTROMA E A MESQUITA DE MOSCOU

24/06/2016

Depois de um dia inteiro de visitas ao Mosteiro da Trindade de São Sérgio, chegamos a Moscou no final da tarde. Passamos no hotel e seguimos para um excelente programa, o Show do Balé Nacional Russo Kostroma. A nossa guia cometeu um erro grande, pois nos levou para um outro lugar e quase perdemos o show. Depois que descobrimos o erro, ainda deu tempo de voltar. Final feliz.

O teatro onde acontece o Balé Nacional Russo Kostroma

O teatro onde acontece o Balé Nacional Russo Kostroma

O Balé Nacional Russo Kostroma apresenta um resumo da história e das diversas etnias do país e costumes do seu povo. É um espetáculo de qualidade, possui um figurino maravilhoso, músicas e danças que emocionam.

Um figurino espetacular

Um figurino espetacular

O show acontece num excelente teatro no centro de Moscou. São mais de 50 artistas no palco com uma maravilhosa técnica de dança e interpretação. 15 mudanças cenográficas, mais de 600 figurinos e oito mudanças de cenário, com projeção de vídeos, fumaça, fogo e céu estrelado. O Kostroma é um show imperdível.

O moderno teatro onde acontece o espetáculo Kostroma.

O moderno teatro onde acontece o espetáculo Kostroma.

Em frente ao teatro onde acontece o show Kostroma, fica a Mesquita de Moscou, inaugurada em 2015 por Vladimir Putin. Moscou, depois de Paris, é a segunda cidade da Europa com mais muçulmanos, excluindo-se Istambul, que é também europeia. Possui um milhão e meio de fiéis.

A Grande Mesquita de Moscou

A Grande Mesquita de Moscou

A Grande Mesquita de Moscou é moderna e imponente, possui mais de 18 mil metros quadrados de superfície e uma altura comparável à de um edifício de seis andares. Hoje é um dos destaques da cidade. Fica imponente no alto de uma colina.

A Grande Mesquita de Moscou

A Grande Mesquita de Moscou

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

IGREJAS E CATEDRAIS DO MOSTEIRO DA TRINDADE DE SÃO SÉRGIO

24/06/2016

No interior do Mosteiro, a Igreja de São Sérgio fica ao lado do refeitório dos monges e é um dos destaques. O refeitório foi construído no final do século XVII, com dinheiro doado por Pedro, O Grande e seu irmão Ivan V, em agradecimento pelo asilo que receberam durante a Rebelião dos Strésly (Guardas Reais).

O refeitório da Igreja de São Sérgio

O refeitório da Igreja de São Sérgio

As paredes externas do Refeitório são divididas por uma série de painéis separados por pilares decorados com videiras esculpidas.

As colunas do refeitório.

As colunas do refeitório.

O interior da Igreja de São Sérgio.

O interior da Igreja de São Sérgio.

Ao lado do Refeitório fica a Igreja de São Sérgio, ricamente decorada. A Iconóstase da Igreja possui entalhes rebuscados, que parecem ser de metal, mas na realidade são de madeira. A Iconóstase é um biombo ou uma parede divisória decorado com ícones religiosos, que separa a nave da igreja do santuário. É muito comum no altar das igrejas russas.

O Iconóstase da Igreja da São Sérgio

O Iconóstase da Igreja da São Sérgio

Em frente à Igreja de São Sérgio e ao Refeitório, fica a pequena Igreja do Espírito Santo, do século XV.

A Igreja do Espírito Santo

A Igreja do Espírito Santo

Ao lado do Refeitório fica a Catedral da Trindade, também erguida no século XV, sobre o túmulo de São Sérgio. É a mais antiga construção de pedra do Mosteiro, de 1.422, ano da canonização do monge. Esse é o principal lugar de romaria do complexo. A igreja é pequena, mas requintada e linda. A Iconóstase é formada por uma série de pinturas de artistas russos da época.

A Catedral da Trindade

A Catedral da Trindade

Em frente à Catedral da Trindade fica uma Rotunda aberta sobre a fonte santa, do século XIX. Os peregrinos vão até aí para encher garrafas com a água benta da fonte sob a Rotunda.

A Rotunda sobre a fonte santa

A Rotunda sobre a fonte santa

Atrás da Rotunda a Capela Sobre o Poço é outro local de peregrinação. A igrejinha é do final do século XVII e fica sobre uma fonte considerada sagrada. Aí também as garrafas são enchidas pelos fiéis.

A igrejinha da fonte sagrada.

A igrejinha da fonte sagrada.

Os peregrinos enchem garrafas de água na fonte sagrada.

Os peregrinos enchem garrafas de água na fonte sagrada.

Ao lado desse conjunto fica o Campanário Azul, com cinco andares, de meados do século XVIII.

O Campanário Azul

O Campanário Azul

Atrás da Capela sobre o Poço, fica a mais importante igreja do complexo. A magnífica Catedral da Assunção, com a sua cúpula dourada, cercada por quatro domos azuis estrelados, localizada no centro do complexo.

A Catedral da Assunção

A Catedral da Assunção

A Catedral foi encomendada por Ivan, O Terrível, em 1.559, para comemorar a vitória sobre os mongóis, na tomada de Kazan. O interior da Catedral é suntuoso. Os pintores russos da escola de Yaroslávl, chefiados por Dimitry Grigorev, levaram apenas cem dias para pintar os ricos painéis.

A decoração exuberante da Catedral da Assunção.

A decoração exuberante da Catedral da Assunção.

A Catedral é repleta de ícones. Os ícones correspondem a pinturas sobre santos e passagens bíblicas, são muito comuns nas igrejas ortodoxas da Rússia. Essa foi a principal forma de decoração desses templos.

Um dos belos ícones da Catedral

Um dos belos ícones da Catedral

Do outro lado do complexo ficam Os Apartamentos do Czar, construídos no final do século XVII para o Czar Aléxis Mikhailovitch, que costumava visitar o Mosteiro. Hoje, no local, funciona uma faculdade de teologia.

Os apartamentos do Czar.

Os apartamentos do Czar.

Na saída do Mosteiro fomos a um centro de artesanato e lembranças da Rússia que fica ao lado para comprar a famosa matryoska, a boneca russa, que é um brinquedo tradicional no país. A matryoska é formada por uma série de bonecas de madeira, que se encaixam, uma dentro da outra, da maior até a menor. O normal são as matryoskas com até sete bonecas, mas existem algumas com números impressionantes.

As matryoskas

As matryoskas

Deixamos Serguiev-Possad e voltamos para Moscou.

Painel pintado em parede em Serguiev-Possad

Painel pintado em parede em Serguiev-Possad

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O FABULOSO MOSTEIRO DE SÃO SÉRGIO NA RÚSSIA

24/06/2016

Saímos de Moscou para uma viagem em direção ao Anel de Ouro. Nesta área nos arredores da capital, ficaram as primeiras cidades importantes do país. Muitas delas foram fundadas a partir do século XI, quando os russos foram expulsos da região de Kiev, na Ucrânia, e seguiram um pouco mais para o norte e interior do país. As cidades de Rostov, Yaroslávl, Vladimir e Suzdal cresceram nessa região, impulsionadas pelo comércio com o Império Bizantino.

O Anel de Ouro da Rússia

O Anel de Ouro da Rússia

Nessa mesma área, conhecida como o Anel de Ouro, a cidade de Serguiev-Possad se transformou num importante centro da Igreja Ortodoxa Russa, ancorada pelo magnífico Mosteiro da Trindade de São Sérgio.

O Mosteiro da Trindade de São Sérgio

O Mosteiro da Trindade de São Sérgio

O Mosteiro foi fundado no século XIV, por Sérgio de Radônej. Sérgio foi um articulador e teve um papel fundamental na união dos Príncipes russos contra os mongóis. Em 1380, o Príncipe Dmitry Donskoy, pediu a bênção a Sérgio, antes de atacar e vencer os mongóis na batalha de Kulikovo. A vitória russa e o fato de o corpo do monge ficar milagrosamente intacto após um ataque mongol ao Mosteiro em 1408, levaram à canonização de Sérgio, o mais Santo dos monges russos.

São Sergio de Radônej

São Sergio de Radônej

Sérgio construiu uma igrejinha de madeira, na floresta a norte de Moscou. A partir daí muitos peregrinos foram atraídos para o local, pelos relatos da devoção de Sérgio e assim surgiu uma comunidade ao redor da pequena igreja que formou o Mosteiro da Trindade. Hoje, o enorme conjunto fica dentro de muralhas, com 1,6 km de extensão. Lá dentro, um conjunto de incríveis igrejas agrupadas em volta da espetacular Catedral da Assunção, forma um dos conjuntos religiosos mais belos do Mundo.

O conjunto de igrejas e capelas do Mosteiro.

O conjunto de igrejas e capelas do Mosteiro.

Até hoje, o Mosteiro da Trindade de São Sérgio é um dos mais importantes centros religiosos e local de peregrinação da Rússia. Durante a história do Mosteiro, ele foi testemunho de alguns momentos importantes, como o cerco dos poloneses ao mosteiro entre 1608 e 1610. Em 1680, Pedro, O Grande, um dos mais importantes dos monarcas russos, com apenas 10 anos de idade, refugiou-se no Mosteiro durante a Rebelião dos Stréltsy (os guardas reais).

O interior do Mosteiro de São Sérgio

O interior do Mosteiro de São Sérgio

Ao longo de toda a história da Rússia, a relação entre a Igreja e o poder, foi marcada por conflitos e interferências de ambos os lados. Em 1919, os comunistas fecharam o Mosteiro, que apenas foi reaberto por Stálin, em 1946, no contexto da Segunda Guerra Mundial, para se tornar a sede da Igreja Ortodoxa Russa, até o final do período comunista em 1988.

Jovem padre no Mosteiro de São Sérgio

Jovem padre no Mosteiro de São Sérgio

Do lado de fora do Mosteiro existe um enorme pátio, onde os peregrinos se concentram no períodos de romarias e onde os ônibus de turismo estacionam. Nos entornos da praça, ficam lanchonetes e lojinhas de artesanato.

O pátio externo do Mosteiro de São Sérgio

O pátio externo do Mosteiro de São Sérgio

O Mosteiro de São Sérgio foi fortificado no reinado de Ivan, O Terrível. Possui muros de 12 metros de altura. A entrada do complexo se dá pela Torre Linda e acima dela a Igreja de Porta de São João Batista, construída no final do século XVII.

A entrada principal do Mosteiro

A entrada principal do Mosteiro

A Igreja da Porta de São João Batista.

A Igreja da Porta de São João Batista.

 

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

A RUA ARBAT EM MOSCOU

23/06/2016

Moscou estava em obras, sobretudo nos entornos do centro histórico. Pelo que entendemos, a prefeitura estava enterrando a rede de fios elétricos, de telefonia e de lógica, aumentando os passeios públicos. Estas obras pareciam ser melhorias para a Copa do Mundo de Futebol, que vai acontecer aí em 2018.

A cidade tinha obras para todos os lados.

A cidade tinha obras para todos os lados.

Seguimos andando dos Jardins de Alexandre até a Rua Arbat, uma rua para pedestres que ficou mundialmente famosa em função do romance, Os Filhos da Rua Arbat do escritor russo Anatoli Ribakov, que retrata a vida dos jovens nascidos nessa rua durante o regime comunista. Ribakov, foi um dos primeiros escritores russos a criticar o regime totalitário soviético, retratando o início da era Stalin.

A Rua Arbat

A Rua Arbat

O bairro chama-se Arbat Velho. No século XIX foi reduto de artistas, músicos, poetas e intelectuais. A Rua Arbat hoje é só para pedestres e cheia de restaurantes, bares, antiquários e lojas de suvenires. Ainda é comum a presença de artistas de rua para todos os cantos e o toque de boemia continua presente.

Esculturas no meio da Rua Arbat

Esculturas no meio da Rua Abruta

Paramos num restaurante turco, na beira da Rua Arbat. Jantamos por aí, na varanda, enquanto observávamos o movimento e o vai e vem desse pedaço pitoresco de Moscou.

Restaurantes no meio da rua

Restaurantes no meio da rua

No final da noite arriscamos pegar o metrô de volta para o hotel. O metrô de Moscou é completo e muito cheio de opções. O grande problema para nós, fica no reconhecimento do alfabeto cirílico, que não possui muitas semelhanças com o alfabeto latino. A dica é fazer a leitura dos extremos de cada linha do metrô e da estação que precisamos utilizar, com calma. Com o tempo vamos nos acostumando com a leitura gráfica do alfabeto cirílico. Não existe tradução das palavras russas em alfabeto latino. Para nós fica mais difícil a identificação dos destinos.

O fabuloso metrô de Moscou

O fabuloso metrô de Moscou

A Rua Arbat

A Rua Arbat

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

A CATEDRAL DO CRISTO SALVADOR, AS SETE IRMÃS DE STALIN E OS JARDINS DE ALEXANDRE

23/06/2016

A Catedral do Cristo Salvador é o mais importante templo de Moscou. A original foi dinamitada por ordem de Stalin, em 1931, apesar de toda a sua importância religiosa e histórica. Após o fim do regime comunista a igreja foi reconstruída por Yúri Lujkov, prefeito de Moscou, durante a gestão de Boris Yeltsin, entre 1994 e 1997.

A Catedral do Cristo Salvador

A Catedral do Cristo Salvador

A Catedral original é do século XIX e foi construída em homenagem aos mortos na luta pela libertação de Moscou das tropas de Napoleão. Já foi a construção mais alta de Moscou, com a sua cúpula principal erguendo-se a 103 metros. Podia receber mais de 10 mil pessoas.

Já foi a construção mais alta de Moscou

Já foi a construção mais alta de Moscou

Stalin pretendia construir no lugar da Catedral demolida, um gigantesco monumento, com 315 metros de altura, em homenagem a Lenin, o Palácio dos Sovietes, mas morreu antes de iniciar a obra, e os seus sucessores não deram continuidade aos seus delírios. Existe hoje um esboço gráfico do que deveria ser o gigantesco monumento em homenagem a Lenin. No alto do monumento haveria uma estátua de Lenin, com 100 metros de altura. Com o fim da União Soviética, o projeto foi abandonado e a Catedral reconstruída.

Detalhe da fachada da Catedral que foi dinamitada por Stalin

Detalhe da fachada da Catedral que foi dinamitada por Stalin

A Catedral do Cristo Salvador é um templo da Igreja Ortodoxa Russa, com uma decoração interna exuberante, formada por ícones dourados e bastante coloridos, uma das características das igrejas ortodoxas da Rússia. Possui cinco cúpulas douradas e uma fachada imponente com magníficas esculturas.

A porta principal da Catedral do Cristo Salvador.

A porta principal da Catedral do Cristo Salvador.

Da Catedral seguimos o tour pelas largas avenidas de Moscou. Muitas dessas avenidas foram abertas pelos Planos Quiquenais de Stalin para a URSS. Essa Moscou moderna foi uma criação de Stalin, que destruiu igrejas e outros edifícios históricos para a abertura das avenidas.

Largas avenidas e a área mais moderna de Moscou ao fundo.

Largas avenidas e a área mais moderna de Moscou ao fundo.

Seguimos até o Morro dos Pardais (Varabyôve Gory), a 5 quilômetros do centro de Moscou, de onde se tem uma vista maravilhosa da cidade. No alto do morro existe um mirante e o panorama de Moscou fica ao fundo.

A vista espetacular do Morro dos Pardais

A vista espetacular do Morro dos Pardais

Daí também pode-se ver de perto o prédio da Universidade Estatal de Moscou (MGU). Um arranha-céu imponente, encomendado por Stalin e concluído em 1953. O prédio da Universidade possui 36 andares, 240 metros de altura e é um dos conjuntos conhecidos como “As Sete Irmãs de Stalin”, ou “Bolos de Casamento”. Os prédios estão distribuídos pelo espaço urbano de Moscou, como se fossem vértices de uma estrela de sete pontas.

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Uma das Sete Irmãs de Stalin

Os moscovitas não usam essas expressões para as torres. Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético, com influência neo-gótica, entre 1947 e 1953 para comemorar o poderio da União Soviética sobre o capitalismo ocidental, em tempos de Guerra Fria.

Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético

Os prédios foram construídos em estilo Classicismo Soviético

Ao lado do mirante fica a pequena igreja da Trindade, de 1811, com a sua cúpula verde.

A pequena igreja da Trindade

A pequena igreja da Trindade

Outro local de visitação especial em Moscou, são os Jardins de Alexandre, projetados pelo arquiteto Ossip Bove em1821. Os belíssimos jardins, com mosaicos de flores coloridas, foram mandados construir por Alexandre I, que providenciou a restauração da cidade de Moscou e do Kremlin, após a expulsão das tropas de Napoleão da cidade.

Detalhes dos Jardins de Alexandre.

Detalhes dos Jardins de Alexandre.

Várias fontes e esculturas, com temas diversos e alguns infantis, enfeitam os Jardins de Alexandre.

Esculturas e fontes enfeitam os jardins.

Esculturas e fontes enfeitam os jardins.

O rio Neglínaya, que formava o fosso de proteção do Kremlin, foi canalizado por baixo da terra.

O rio foi canalizado e virou fonte.

O rio foi canalizado e virou fonte.

Outra atração dos Jardins de Alexandre é o Túmulo do Soldado Desconhecido, inaugurado em 1967, que homenageia um soldado anônimo da Segunda Guerra Mundial.

O Túmulo do Soldado Desconhecido

O Túmulo do Soldado Desconhecido

Ao lado dos jardins de Alexandre, numa área do subsolo, sob uma grande praça, fica o Shopping Manêjnaya Ploschad, com centenas de lojas de grifes e comércio em geral.

O Shopping Manêjnaya Ploschad

O Shopping Manêjnaya Ploschad

Os Jardins de Alexandre

Os Jardins de Alexandre

Publicado em Rússia | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário